BLOCO DE ESQUERDA CONTESTA NECESSIDADE DO PARQUE DE ESTACIONAMENTO CAMÕES

O Bloco de Esquerda, em conferência de imprensa convocada para o efeito, contesta a necessidade do parque de estacionamento de Camões, cuja obra foi adjudicada na última reunião de Câmara.

O candidato do Bloco de Esquerda a Câmara Municipal de Guimarães, Wladimir Brito considera que o parque de estacionamento, tal como ele está previsto para o quarteirão Caldeiroua/Camões, “vai contra o que se pretende com a Capital Verde Europeia e contra aquilo que o próprio Município apresenta no seu plano de mobilidade”. O candidato do BE lembrou que “aquilo que se realizou na Sociedade Martins Sarmento na sexta-feira, foi um debate e não uma audiência pública prévia”. Wladimir Brito lembrou que o presidente afirmou no inicio da sessão que, “ a decisão está tomada a adjudicação vai ser feita na quinta-feira”.

“Se se diz que há ratos é uma descontaminação que tem que ser feita e não um parque de estacionamento de oito milhões de euros”, Wladimir Brito

Para Wladimir Brito os argumentos a favor do parque, que foram apresentados na sessão de esclarecimento, realizada na SMS, não são convincentes. “Se se diz que há ratos é uma descontaminação que tem que ser feita e não um parque de estacionamento de oito milhões de euros”, ironiza o candidato do bloco. A necessidade de revitalização do comércio também não é, para o BE, uma razão para a construção do parque, “até porque o problema do comércio resulta de um problema de ocupação do espaço”.

Para o BE faltam estudos

O candidato do BE é especialmente crítico relativamente “à falta de estudos”. Wladimir Brito questiona se “há estudos sobre a relação custo/benefício para a construção de um parque de estacionamento de oito milhões de euros?” O candidato afirma que quando questionou o presidente sobre a existência deste estudo este lhe terá respondido: “você não me fale em estudos”. O BE também se afirma preocupado com o impacto ambiental que um “megaparque” (440 lugares) pode ter numa zona de edificações antigas e de ruas estreitas. Mais uma vez Wladimir Brito insiste na necessidade de estudos e aventa a possibilidade de um parque desta dimensão poder gerar quatro a cinco mil movimentos.

Não havendo estudos o candidato do Bloco afirma que “não há estudos que comprovem a necessidade de um parque tão grande, poderia ser preciso até um maior”. Afirma isto e, à semelhança do que já tinha feito um morador, na sessão pública de esclarecimento na SMS, e mostra fotografias do parque de estacionamento do triângulo vazio. O BE afirma que a ocupação do estacionamento à superfície, em Guimarães, é de 65%, mas que não existem números divulgados sobre o estacionamento subterrâneo.

O BE gostaria de acabar com os autocarros de grande dimensão que classifica como “obsoletos”

Joaquim Teixeira resumiu a proposta de mobilidade do BE: “Retirar estacionamento e trânsito do centro histórico, acabar com os obsoletos autocarros de grande dimensão e criar linhas de mini-bus a ligar uma série de parques de estacionamento periféricos.

Wladimir Brito afirma que “a discussão pública em sentido técnico-jurídico foi feita em agosto e isso é o que se faz quando não se quer discussão pública”. O candidato do BE à CMG lembra que “recuar é um sinal de bom senso” e lembra que “gastar oito milhões do dinheiro dos contribuintes europeus num projeto tão polémico a quatro meses das eleições e questionável embora não discuta a legitimidade”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?