CANDIDATO DA CJPG APRESENTOU PROPOSTAS PARA “MELHORAR QUALIDADE DE VIDA”

André Coelho Lima, candidato pela Coligação Juntos por Guimarães, apresentou hoje a primeira de três propostas para “melhorar a qualidade de vida” dos vimaranenses, iniciando pela juventude nas áreas da educação e desporto.

A primeira medida passa por entregar às famílias, por cada aluno do ensino obrigatório, desde do primeiro ciclo até ao ensino secundário, um “cheque ensino” para “ajudar” as famílias a adquirir livros e materiais escolares com um valor variável entre 50 e 150 euros conforme o rendimento das famílias, sendo que o material terá de ser adquirido no comércio do concelho vimaranense.

A segunda iniciativa incide na criação de bolsas de estudo em duas dimensões: bolsa de mérito, que premeia os melhores alunos, e bolsa de estudo, para alunos que pretendem obter um curso superior e não tenham meios económicos.

A terceira proposta resulta no pagamento das inscrições dos atletas da formação nas respetivas federações desportivas, o pagamento do seguro obrigatório e o exame médico desportivo.

Com estas medidas, o candidato frisa que estão reunidas condições para que a câmara “não seja indiferente” ao percurso escolar de cada aluno. “Guimarães não pode permitir que um só jovem não possa seguir os seus sonhos e completar a sua formação por falta de condições financeiras”, afirmou André Coelho Lima, acrescentando que a terceira medida visa o “fomento” da prática do desporto e se destina a todos os atletas da formação em todas as modalidades.

Partindo do princípio que o concelho tem pouco menos de 20 mil alunos, o candidato prevê uma verba de dois milhões de euros, se colocar uma média de 100 euros por estudante. “Uma verba perfeitamente suportável, com absorção plena do orçamento da Câmara, porque a autarquia teve este só este ano um lucro na ordem de dez milhões de euros, num excedente orçamental que acumulou cerca de 38 milhões de euros. O atual executivo decidiu juntar todo esse dinheiro para gastar no ano eleitoral, uma decisão legítima, mas altamente censurável do ponto de vista político, e nós pretendemos repartir esse excedente orçamental e devolver às pessoas”, explicou.

Já no caso das bolsas, o candidato referiu que é a “mais difícil de quantificar”, porque não consegue saber “quais os alunos que querem seguir para o ensino superior e não têm condições”. Esta medida vai ser sujeita a um regulamento, mas, segundo André Coelho Lima, vai ter um impacto orçamental “reduzido”.

Para o desporto, a verba ronda os 300 mil euros, dando o exemplo de outros concelhos da dimensão de Guimarães. Tudo somado, a CJpG prevê quase 2,5 milhões de euros para as medidas apresentadas.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?