CÂNDIDO CAPELA DIAS: ANTERIOR EXECUTIVO É O “PATINHO FEIO”

Relativamente ao executivo que agora termina o seu mandato, Capela Dias afirma: “desperdiçou forças em tentar passar para a opinião pública a ideia de ser vítima do lobo mau que seria a Câmara e daqui decorre uma postura de patinho feio que se bate para que tenham pena dele”. Para o candidato comunista esta postura é “indigna” da história das Taipas e a responsável pela inação, na limpeza de passeios, asseio das ruas e na aventura do negócio da Pensão Vilas. O candidato afirma isto, mas termina dizendo que “não desculpamos nem apoucamos o papel vingativo da Câmara”.

Para o candidato da CDU a Turitermas assume um papel de contrapoder

Para Cândido Capela Dias “a Turitermas tem assumido um papel contrapoder por via da assumção de competencias delegadas pela Câmara”. Esta é uma situação única, na avaliação do candidato, “que não se verifica com mais nenhuma empresa municipal na sua área de intervenção”. A ação camarária, para a CDU, “não estimula o desenvolvimento de um pólo com invejáveis condições naturais para ser uma joia da natureza”, com prejuízo para os taipenses e para os habitantes do concelho em geral.

Para Capela Dias a “preocupação é com as pessoas que vivem ou trabalham na vila, o que significa que a parte maior da nossa atenção vai para as pequenas e grandes necessidades dos taipenses e só depois vai para quem nos visita”. O candidato afirma que a CDU tem uma presença “constante e atenta” na vila e que isso lhes dá um “um conhecimento valioso sobre o estado de ruas e passeios, limpeza da rede de águas pluviais, buracos”, entre outros aspetos. Para o candidato comunista há carências nas escolas, associações, coletividades e instituições, “muitas vezes a operar em condições degradantes e indignas”, e refere, particularmente, o caso da Escola EB1 e o posto da GNR. Cândido Capela Dias afirma que consigo a Junta de Freguesia “não se esconderá atrás de nada, para não resolver o que lhe compete”.

Centralidade das Taipas: “obras na sala de entrada que escondem as áreas degradadas do resto da casa”, Cândido Capela Dias

Para Capela Dias, a intervenção de que a vila precisa ultrapassa o centro. “Não aceitamos que a intervenção no centro seja do tipo de obras na sala de entrada que escondem as áreas degradadas do resto da casa”, afirma o candidato da CDU sobre a nova centralidade das Taipas. Para os comunistas a intervenção no centro da vila não é bastante; “queremos um plano geral de intervenção em toda a vila”. O candidato da CDU à Junta de Freguesia de Caldas das Taipas diz que o projeto de intervenção no centro da vila não pode ser ignorado, “embora nos mereça sérias reservas quanto a algumas das soluções propostas no trânsito, no estacionamento e na descontinuidade do jardim central com eliminação da passagem na praçeta Ferreira de Castro”.  Cândido Capela Dias lembra que apesar da importância desta intervenção no centro, não podemos esquecer que “a rede de saneamento não cobre toda a vila, que há esgotos a céu aberto e que isso atenta contra a qualidade de vida das populações”.

A via do Avepark “nasceu torta”

Para o candidato a presidente da Junta de Freguesia das Taipas, pela CDU, a via do Avepark “nasceu torta”. “Começou por ser uma via dedicada, exclusiva, o que a tornaria num canal sem interesse direto para as populações, perdendo-se uma oportunidade de aproximar Barco, Briteiros, Donim da centralidade das Taipas”, afirma Capela Dias. A proposta atual é “uma tentativa de remedeio”, mas, na opinião da CDU, não é a solução para o desenvolvimento do Avepark, nem das freguesias envolventes.

O polidesportivo, para Capela Dias, é um “bom equipamento”. O candidato da CDU aprova a arquitetura que, afirma, “desfez positivamente os meus receios” de que o edifício não se integrasse no parque. Na sua opinião é importante que “quem o gere pratique uma política não-discriminatória como acontece em muitos bons equipamentos da Câmara”.

Cândido Capela Dias iniciou a sua militância no período conturbado da ditadura, tendo assumido as mais diversas funções no PCP. Esteve no Ministério do Trabalho, no período do ministro Costa Martins e foi deputado, da CDU, na Assembleia da República, pelo círculo eleitoral de Braga, entre 1999 e 2002. Foi vereador na Câmara Municipal de Guimarães, membro da Assembleia Municipal e da Assembleia de Freguesia de Caldelas. Excluindo o mandato em que Constantino Veiga governou em maioria absoluta, entre 2009 e 2013, Capela Dias tem sido, ao longo deste século, o representante da CDU na autarquia taipense.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?