CJPG QUER BOLSA CRIATIVA E GABINETE MUNICIPAL PARA APOIO ÀS ARTES

O candidato à Câmara Municipal, André Coelho Lima, e o responsável da Cultura da lista da Coligação Juntos por Guimarães, Ricardo Araújo, apresentaram seis propostas para a área da cultura.

A Coligação Juntos por Guimarães (CJpG) apresentou seis propostas, esta manhã em conferência de imprensa, em frente ao Teatro Jordão, para a área da cultura.

A primeira proposta visa criar uma bolsa criativa para o “apoio às artes”, um programa que se promova a internacionalização dos criadores de Guimarães e a afixação de novos criadores.

André Coelho Lima adiantou ainda que será criado um gabinete municipal de apoio às associações, que servirá de apoio logístico e técnico: “as associações culturais do município devem ter um apoio equivalente ao que está projetado para a área do desporto”, propõe o candidato.

A terceira proposta vai ter incidência na sustentabilidade dos equipamentos culturais, numa perspetiva de “utilização e não financeira”. “Uma gestão integrada dos equipamentos culturais. Os equipamentos criados e a criar têm que ter uma gestão complementar um dos outros”, explicou.

A plataforma das artes e da criatividade é, para o candidato, o “maior” desafio, onde pretendem promover a sua ligação com os museus de arte contemporânea internacionais. “Queremos aprender, queremos projetar, queremos crescer e queremos ter a humildade para aprender com quem está a gerir museus de arte contemporânea internacionais”, disse.

O teatro Jordão, que a Coligação defende a reabilitação “há décadas”, deve manter a sala de espetáculos, uma “memória” dos vimaranenses, e disponibilizar uma sala que “tem valências que outras não têm”.

Quanto a equipamentos, André Coelho Lima compromete-se ainda a criar um Centro Cultural em S. Torcato para promover a “afirmação da cultura popular”.

A quarta proposta da Coligação propõe uma aposta “clara” numa Feira do Livro para “distinguir” Guimarães e numa Feira de Gastronomia, bem como a valorização e a promoção das Festas Gualterianas.

Outra proposta passa pela classificação das Festas Nicolinas, uma “batalha pessoal” do candidato, como Património Cultural e Imaterial da Humanidade e a classificação da Citânia de Briteiros Património Cultural da Humanidade.

O último compromisso junta cultura e a educação. O candidato quer levar o ensino do património e história local às escolas, incluir as artes na sala de aula e um programa de visitas organizado pelo município aos espaços museológicos do concelho.

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?