DESEJO DAS MELHORES OPÇÕES DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA 2018

por Mário Moreira

Hipócrates, pensador grego, considerado o pai da medicina, defendeu que os alimentos sejam o teu remédio, e o remédio, os teus alimentos”.

De acordo com este pensamento, os alimentos têm um papel determinante, na prevenção e no tratamento das doenças.

A alimentação constitui um fator ambiente de enorme importância, na saúde individual e coletiva e, modela, deste modo, a qualidade e a duração das nossas vidas.

O nosso estilo de vida, cada vez mais acelerado, faz com que comamos depressa e mal.

O fast food e as refeições pré-preparadas, que designo, de “lixo alimentar”, substituem, infelizmente, a comida caseira e a cozinha tradicional.

Seja por falta de tempo, por falta de ideias, ou até, de se pensar que não se é capaz, de fazer melhor, o certo é que, o número de famílias onde se pratica uma alimentação desiquilibrada, não pára de crescer, bem como um conjunto de doenças associadas, designadamente, a obsidade, onde mais de 30% das nossas crianças têm excesso de peso,  numa alimentação completamente desregulada e disfuncional.

A dieta e a nutrição são indiscutivelmente fatores importantes na promoção e manutenção de um bom estado de saúde mental e fisico ao longo da vida.

Vai ganhando consciência que a saúde não se conquista ao tratar a doença, mas sobretudo ao criar e desenvolver condições que promovam o nosso bem estar.

Há que distinguir entre quem é guloso e quem aprecia a boa cozinha. Um bom garfo não é um garfo grande, nem um prato a transbordar.

A alimentação deve ser equilibrada e o mais diversificada possível.

 

 

Deixamos alguns concelhos:

Aumentar o consumo de frutas e legumes, sem esquecer as leguminosas; o feijão, o grão, as lentilhas e por esta via, serão satisfeitas as necessidades básicas em termos de vitaminas, sais minerais e fibras, ricos em ferro e cálcio.

Limitar as calorias no consumo de gorduras, fritos e doces.

Optar por comer mais vezes carnes magras, sem peles e aumentar o consumo de peixe.

Reduzir o consumo de manteiga, natas, maionese, o sal e no açúcar.

Adicionar à sua alimentação os hidratos de carbono, fornecedores de energia; o pão, as massas, o arroz, a batata, as leguminosas, muitas vezes olhados como “monstros da engorda”, o que é completamente falso. O problema não está na sua natureza mas na quantidade que se come. A Fundação Portuguesa de Cardiologia, recomenda pelo menos 50% da energia diária, seja obtida através dos hidratos de carbono.

Se possível, coma carne apenas três vezes por semana e em quantidade moderada, sobretudo, carnes vermelhas.

Faça por consumir refeições ligeiras e comer mais vezes durante o dia.

Ao efetuar tais opções, está a contribuir para elevar o seu bem estar, fisico e mental, e deste modo, a contribuir para uma sociedade mais saudável.

Votos de um excelente ano de 2018

Um abraço gastronómico.

 

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?