ETAR SERZEDO CONTINUA LIBERTAR MAUS CHEIROS

O problema dos maus cheiros na ETAR de Serzedo não é novo. Em abril deste ano o Mais Guimarães noticiou os problemas de maus odores libertados pela ETAR de Serzedo. Uns dias antes, no final de março, o deputado Pedro Soares, do Bloco de Esquerda, tinha estado no local para chamar a atenção para o problema.

A ETAR de Serzedo situa-se num terreno confinante com o rio Vizela

Para o presidente da Junta de Freguesia, Filipe Lopes, não se trata do mesmo problema. “Esta é uma situação que começou em outubro e que se mantém até agora, mas não tem nada que ver com esses problemas anteriores”, frisa o autarca. O presidente alega que já alertou a Águas do Norte. Segundo o presidente a empresa responsável pela exploração da ETAR afirma que “está a resolver o problema, mas que precisa de algum tempo”. A Águas do Norte não precisou ao presidente da Junta quanto tempo exatamente é que precisa para resolver o problema.

Horácio Ribeiro, um morador da freguesia, acha que os maus odores se agravaram desde outubro, “embora a situação nunca tenha sido resolvida”. O morador lança a possibilidade de “o mau cheiro se agravar por o rio levar pouca água”. Relativamente às outras questões que anteriormente também se colocavam, nomeadamente, o ruído e a coloração da água, Horácio Ribeiro confirma que, no caso do ruído, o “problema mantém-se”.

Por altura da visita à ETAR, em março, Pedro Soares, colocou a possibilidade de tentar que fosse efetuado um estudo técnico, para o que iria abordar a Águas do Norte e o Ministério do Ambiente. O Mais Guimarães questionou o BE e a Águas do Norte relativamente a este estudo e a outras medidas que possam ter sido adotadas e aguarda respostas de ambas as entidades.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?