JOVENS DE GUIMARÃES ATROPELADOS EM VILA DO CONDE

Uma caravanista espanhola, de 63 anos, foi a primeira pessoa a chegar ao local onde os dois jovens de Guimarães foram atropelados, quarta-feira, na marginal de Vila do Conde, quando passavam dez minutos das quatro da manhã. Sónia Pereira, de 19 anos e Vítor Fernandes, de 24 anos, ela de Selho São Cristóvão e ele de Serzedelo, tiveram morte imediata.

Direitos Reservados

Os caravanistas foram alertados de que algo de anormal se teria passado pelo forte estrondo. Chegados ao local, a umas dezenas de metros do descampado, usado como parque de caravanas, “lá estava um carro despistado em cima do passeio, e o muro que separa o passeio do descampado destruído”. A viatura vinha na direção de Vila do Conde para a Póvoa do Varzim e o condutor, um jovem de 23 anos, que saiu ileso do acidente, terá perdido o controlo do carro e subido o passeio.

As obras na marginal têm cerca de dez anos, mas ainda hoje a reduzida altura do passeio, naquele lugar, não é consensual. O projeto de renovação desta marginal foi da autoria dos arquitetos Siza Vieira e Alcino Soutinho que, devido aos protestos, chegaram a projetar uns mecos par evitar o estacionamento em cima do passeio, já que a altura reduzida tornava o parqueamento muito fácil. “O problema da segurança manteve-se”, diz António Enes, um pensionista que por ali anda todas as manhãs. A juntar ao problema da reduzida altura dos passeios, junta-se a velocidade excessiva, que já levou a Câmara a elevar todas as passadeiras.

Um dos caravanistas que chegou ao local conta que, num primeiro momento nem se aperceberam que havia pessoas atropeladas, “no local só estava o condutor, já fora do carro”. Os jovens foram projetados a mais de 50 metros. Os bombeiros ainda tentaram reanimar os dois jovens, mas não havia nada a fazer, tal foi a violência com que foram projetadas. A velocidade máxima permitida naquele lugar é 40 quilómetros por hora.

O condutor foi identificado pela PSP e transportado, num estado de comoção emocional ao hospital, os corpos de Sónia e Vítor foram transportados, pelos bombeiros, para o Instituto de Medicina Legal, no Porto.

Sónia residia com uma tia que a tomou a seu cargo, quando os pais da jovem morreram, na sua infância. Vítor era solteiro, deixa pais, um irmão gémeo e duas irmãs. As cerimónias fúnebres realizam-se hoje (quinta-feira), durante a tarde. Às 17h15, Vítor Fernandes e às 17h00 no caso de Sónia, ambos na Igreja de Serzedelo.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?