QUATRO ANOS DE PRISÃO COM PENA SUSPENSA PELA MORTE DE VIMARANENSE

Só um arguido com pena de prisão efetiva na “Operação Fénix”.

O Tribunal de Guimarães condenou esta quinta-feira Jorge Ribeiro, que causou a morte que originou este processo, a quatro anos de prisão com pena suspensa, imputado na Operação Fénix. Nuno Gonçalves é o único arguido condenado a prisão efetiva (dois anos). Eduardo Silva multado em 3600 euros.

O que deu origem a este investigação foi a morte de um jovem numa discoteca em 2015. O arguido Jorge Ribeiro foi condenado pelo crime de ofensa à integridade física qualificada, agravada pelo resultado. Jorge Ribeiro foi condenado a quatro anos de prisão, mas com pena suspensa.

Só o arguido Nuno Gonçalves terá pena efetiva (dois anos), porque já tinha antecedentes criminais. Os restantes ficam com pena suspensa.

Com 54 arguidos (apenas 22 estão presentes na leitura do acórdão), a Operação Fénix está relacionada com a alegada utilização ilegal de seguranças privados, tendo como epicentro a empresa SPDE, também arguida no processo.

1 Comentário
  1. Maria Fernanda da Silva Sá 2 semanas atrás

    Viva a Cidade de Dom Afonso Henriques que é cada vez mais deslumbrante e bela.

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?