QUERIAS SER NUTRICIONISTA? ESTUDASSES

por Isabel Barros

Nutricionista

Todos os que falam de Nutrição e Alimentação, são Nutricionistas? A resposta é óbvia. Não.

No que toca à Saúde Pública, não só importam aqueles que, assumidamente, não são Nutricionistas, mas, principalmente, aqueles que, por trás da omissão e até da mentira, vestem uma imagem que não lhes pertence. É aqui que reside a grande preocupação para os utentes!

Importa esclarecer que o Nutricionista é um Técnico Superior de Saúde, com formação num de três títulos académicos habilitantes: Licenciatura em Ciências da Nutrição, Licenciatura em Dietética ou Licenciatura em Dietética e Nutrição; todos com duração de 4 anos. Alerta! Não confundir Licenciatura com Cursos, Pós-Graduações, Workshops ou Formações.

Ora, todos aqueles que não estão inscritos na Ordem dos Nutricionistas, não podem exercer a profissão de Nutricionista.

Entenda-se que ser Nutricionista não é sinónimo de tirar a felicidade a quem gosta de comer! Aliás, em bom rigor, o Nutricionista Clínico não lida apenas com emagrecimento, mas, também, com a Diabetes, Hipercolesterolemia, Doenças Hepáticas e Vesiculares, Doença de Chron e Celíaca, Doenças Gastro-intestinais e muitas outras onde a adaptação alimentar se traduz em grandes melhorias dos estados de saúde e bem-estar, muitas vezes visíveis nas análises bioquímicas, para alegria dos utentes e dos seus médicos assistentes. Já para não falar nas magníficas grávidas e recém-mamãs cujo acompanhamento nutricional é determinante quer para uma boa gestação quer para a saúde da própria mãe e do bébé, principalmente em casos de Diabetes Gestacional.

Nós, Nutricionistas, somos, diariamente, confrontados com casos de pessoas que recorreram a “um alguém” que lhe recomendou a dieta do grupo sanguíneo, ou da seiva ou da maçã ou da lua ou qualquer outra loucura sem fundamentação científica e sem provas da sua eficácia e segurança. Depois existem aqueles temas ainda cinzentos como a dieta cetogénica, a low carb-high fat, o jejum intermitente que, embora com fundamentação científica, só um Nutricionista tem conhecimentos suficientes para aplicar de forma segura. Estas abordagens, mais do que as tradicionais, necessitam de um acompanhamento nutricional mais individualizado e exigem uma supervisão regular por parte de Nutricionista. Caso contrário, poder-se-á colocar em risco a saúde.

Ser Nutricionista parece simples, mas não é. As Ciências da Nutrição associam-se à Medicina na medida em que também requerem bastante estudo e conhecimento sobre Bioquímica, Anatomia, Fisiologia e Histologia. Para além destas, o Nutricionista deve dominar, ainda, os princípios das Ciências Humanas e Sociais uma vez que deve considerar as condições sociais, culturais, económicas, emocionais e psicológicas do utente. O trabalho essencial do Nutricionista é definir as necessidades nutricionais do indivíduo, assegurando a plenitude das funções fisiológicas, de forma a prevenir doenças e a melhorar a saúde, respeitando e corrigindo estilos de vida, hábitos e rotinas do utente de forma a promover o seu bem-estar. Além do conhecimento científico, isso requer flexibilidade, criatividade e paixão pelo ser humano!

 

P.S.: Os Nutricionistas não devem ser confundidos com os Naturopatas, Homeopatas, Farmacêuticos, Enfermeiros nem Endocrinologistas. E muito menos com Personal Trainers, Bloggers, o “bro” que puxa ferro ou a turbinada do instagram. “Cada macaco no seu galho”!

 

 

4 Comentários
  1. Filipa de Melo 4 meses atrás

    “só um Nutricionista tem conhecimentos suficientes para aplicar de forma segura” – Estamos com o síndrome de Deus como alguns médicos ? Só pode…

    Andei eu 10 anos em nutricionista a perder tempo, dinheiro e saúde, quando finalmente perdi peso melhorei a qualidade de vida, controlei a diabetes e o hipotireoidismo com a ajuda de um “não nutricionista”.

    Certamente que há bons nutricionistas. Dedicados e actualizados. Apenas não os encontrei quando precisei.

  2. Paulo Sá 4 meses atrás

    Faltou dizer que ser ser nutricionista, pelos vistos, é ser arrogante.
    Se fizessem melhor o vosso trabalho não haveria necessidade de alguém o fazer, com sucesso, em vosso lugar.
    Que classe tão arrogante, pior que médicos e políticos.

  3. Ricardo Barros 3 meses atrás

    Saberá a autora deste texto, elaborado com alto índice de presunção, a diferença entre um nutricionista e um nutrólogo?
    É sensivelmente a mesma que existe entre um “endireita” e um ortopedista!
    Estudar não basta, é preciso possuir inteligência!

  4. Marcos Costa Pinto 3 meses atrás

    Dr.a Isabel,
    antes de mais dizer que fico feliz por ter conquistado este espaço de opinião que, no meu entender deve ser elucidativo para aqueles que, procuram o jornal ou revista Mais Guimarães, para saber um pouco mais sobre o tema que é a Nutrição e toda a complexidade. Penso que, nesta edição, sobre nutrição para o leitor, falamos muito pouco.

    Ficamos a saber que, neste artigo de opinião, sendo apenas a sua opinião, não pretende a multidisciplinariedade do conhecimento nas diferentes áreas. Rejeita ao que parece, um trabalho contínuo de partilha de informação na ajuda de uma “dor” de um(a) cliente que a procura. Pergunto, nas suas anamneses, nunca prescreveu direta ou indiretamente algum tipo de atividade física, com o objetivo de, concretizar o gasto calórico pretendido (ex.) potenciando ou transformando isso num objetivo concretizado! Nunca!?

    Nenhuma das áreas do conhecimento humano é estanque em si própria, daí o seu estudo estar interligado em diferentes áreas, uma delas prende-se com a alimentação.

    Somos Todos, nesta área das Ciências Humanas, indutores de comportamentos, regidos por regras que, se não forem atualizadas com mestrados, pós-graduações, workshops, ou formações de fim de semana, estarão obsoletos antes mesmo de nos iniciarmos, no mercado de trabalho. A competência do nosso mercado obriga-nos a estarmos CAPACITADOS nas diferentes áreas, concordo que cada um “descasque a sua banana” mas, devemos usar de todo o conhecimento para saber, o momento que humildemente reconhecemos que não somos fechados em nós mesmos. Opção é de cada um!! Ou se tem este “drive” ou, o nosso tempo terminou, na linha de partida.

    PS: um exemplo de trabalho multidisciplinar de sucesso, visite o site da http://www.57crossfit.com e quem sabe, se motive para um treino 😉 numa Box de CrossFit com um técnico do desporto👊🏼 para dissipar algumas dúvidas👊🏼 Fica a dica!!

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?