RICARDO COSTA DIZ QUE “OS ATOS FICAM COM QUEM OS PRATICA”

O vereador da Câmara Municipal, Ricardo Costa, garantiu ao Mais Guimarães que não sabia que o técnico Filipe Vilas Boas, chefe da Divisão de Desenvolvimento Económico da autarquia, tinha prestados serviços a título particular.

“Os atos ficam com quem os pratica”, frisou o Ricardo Costa. Recorde-se que a Câmara Municipal abriu um procedimento disciplinar ao técnico e arquiteto Filipe Vilas Boas na sequência de ter vindo a público que o funcionário da autarquia acompanhou a título particular através da sua empresa. Outrasformas, a obra da fábrica de reciclagem Ecoibéria, depois de ter proposto, enquanto chefe de divisão da Câmara, que a Ecoibéria tivesse descontos nos impostos por ser um projeto de interesse municipal. Entretanto, o presidente da Câmara aceitou o pedido de Vilas Boas para suspender a sua ligação à Câmara, e Ricardo Costa assume que a “Câmara não pode fazer mais nada enquanto o processo não estiver concluído”.

Ao JN, o dono da Ecoibéria foi mais longe e disse que o vereador tinha “seguramente” conhecimento, pois foi enviada a fatura da prestação de serviços para a Câmara.

Ricardo Costa negou as acusações, assegurando que não passam por ele esses documentos. “É feita uma monitorização, mas não por mim”, disse o vereador, acrescentando que vai levar a tribunal quem o acusa. “Estão a fazer o mesmo que aconteceu com o vereador José Manuel Antunes”, que em 2013, se retratou publicamente após ter sido processado pelo vereador Ricardo Costa.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?