SARAMPO: O QUE PRECISA DE SABER

A morte de uma adolescente com sarampo levantou dúvidas sobre a forma correta de agir perante a doença e as vacinas.

[DGS]

Em comunicado a Direção-Geral da Saúde esclarece que, em Portugal, desde janeiro de 2017 e até à data, foram registados 21 casos confirmados de sarampo pelo Instituto Ricardo Jorge. O que aumentou o risco para Portugal foi a existência, em alguns países da Europa, de comunidades não vacinadas.

Em Portugal a cobertura vacinal é de 98% para a primeira dose e 95% para a segunda dose

A DGS afirma que não há razão para temer uma epidemia em grande escala, uma vez que a grande maioria das pessoas no nosso país está vacinada, ou teve a doença anteriormente. Em Portugal, a cobertura vacinal em relação ao sarampo é muito alta; 98% para a primeira dose e 95% para a segunda dose. Quem teve a doença ficou imunizado. A vacina é gratuita e está disponível para todas as pessoas que se encontrem em território nacional.

Segundo o Programa Nacional de Vacinação a vacinação deve ser feita com duas doses, aos 12 meses e aos cinco anos de idade. Nas pessoas vacinadas, por vezes, a doença surge com um quadro clínico mais ligeiro e menos contagioso.

Em situação de exposição ao vírus estão protegidas as pessoas que:

  1. Nascidos depois de 1970 se tiverem tido a doença, ou se estiverem vacinados com, pelo menos, duas dozes da vacina, administrada depois dos dois anos de idade, com intervalo de pelo menos quatro semanas.
  2. Nascidos antes de 1970 se tiverem tido a doença ou se estiverem vacinados com, pelo menos, uma dose da vacina, administrada depois dos 12 meses de idade.

Em caso de dúvidas deve ligar para a Linha Saúde 24 (808 24 24 24)

Tem havido um número invulgar de telefonemas para os centros de saúde e unidades de saúde familiar por parte de pessoas que pretendem saber informações sobre o sarampo. A DGS informa que a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) assegura, como habitualmente, respostas concretas às questões colocadas pelo telefone.

A DGS enviou uma nova recomendação sugerindo que, em caso de exposição ao vírus, as crianças cujas famílias se recusem a vaciná-las, devem ficar longe da escola durante 21 dias. A DGS está a monitorizar a situação e a informar sobre a sua evolução, em conjunto com outras instituições dos Ministérios da Saúde e da Educação a DGS, através do endereço infosarampo@dgs.pt, presta informações aos representantes da Comunidade Escolar.

[European Diesease Prevetion and Control]

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?