“VERDES SÃO OS CAMPOS, DA COR DO LIMÃO”

por ÂNGELA OLIVEIRA

Advogada

Assim são os olhos do meu coração.” E assim será Guimarães se alcançar o título da Capital Europeia do Ambiente. Será?

Há quatro anos anunciava-se a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Os vimaranenses foram desafiados a mudar mentalidades e hábitos. Por parte da Camara Municipal de Guimarães foi prometido um plano de guerra estratégico que levaria o concelho a hastear a sua bandeira no Verde Olimpo, onde só deuses tocados pela graça alcançam a glória.

Os vimaranenses preparam-se para uma tempestade de medidas de protecção ambiental, definição de objectivos e linhas de actuação mensuráveis. E ficámos à espera. E aguardámos. Depois perguntamos: É para quando?” Estamos a organizar a equipa”. Certo, faz sentido. Aguardamos. Descobriram uso (finalmente) para o Laboratório da Paisagem, seria o quartel general do green army. Convidaram-se padrinhos estrangeiros, autoridades nacionais e internacionais da área. Estamos prontos! Temos equipa, temos casa, temos um concelho para limpar. Agora é que vai ser! Preparem-se vimaranenses, vêm aí as medidas, as acções…É agora…Não, é agora! É AGORA! Perguntamos novamente: Então? “ Tem sido muito interessante, andamos a viajar muito, a aprender como fizeram os outros, conversamos com muita gente, participamos em conferências, workshops, estabelecemos parcerias e sinergias…”. Perguntamos novamente: Muito bem, e agora que já aprenderam, apreenderam, que temos a tropa de elite a trabalhar connosco, que já estabeleceram sinergias podem passar à acção?

Dos indicadores previstos na candidatura pouco sabemos. O que foi feito no que diz respeito às alterações climáticas, transporte local? Hum, não sei…nada? Áreas urbanas verdes incorporando uso sustentável do solo? Natureza e biodiversidade? Qualidade do ambiente acústico…se me lembrar dos altifalantes no mês de Dezembro… Produção e gestão de resíduos sólidos…eureka, foi implementado o sistema de recolha PAYT, no centro histórico. No indicador da gestão da água e tratamento de águas residuais, a Vimágua continua a registar perdas elevadíssimas de água. Ecoinovação, emprego sustentável, desempenho energético e gestão ambiental integrada? Aqui admito que a parceria com as universidades preencherá parte dos requisitos, assim como a construção da Academia de Ginástica como edifício eco sustentável. Ma seria mesmo preciso construir mais um equipamento na cidade? Por mais inovador que seja, não seria mais apropriado ao Parque da Cidade a criação de um Jardim Botânico, uma Estufa, preenchendo assim a transversalidade de vários indicadores e, mais importante, contribuindo para o verdadeiro estudo e educação ambiental?

Se Guimarães precisa de mais pavilhões para a prática do desporto, é um assunto a estudar, mas em caso de resposta positiva não seria mais eficiente e sustentado pensar numa solução mais abrangente a várias modalidades e clubes?

Após mais uma Green Week, a reflexão é pedida. Depois das intenções, depois dos estudos, depois das sinergias…Guimarães está mais verde? Os vimaranenses sentem a mudança de paradigma anunciada?

A propaganda anunciava a tempestade, mas os cidadãos apenas sentiram a brisa. Talvez a brisa seja suficiente para uma candidatura, mas não foi a brisa que nos prometeram, prometeram-nos a tempestade e por ela aguardamos!

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2017 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?