Guimarães vai ter uma contrastaria

Foto: Direitos Reservados

Ricardo Costa, vereador com o pelouro dos assuntos económicos da Câmara Municipal de Guimarães, anunciou, no final da reunião do executivo, de segunda-feira, dia 20 de julho, a vinda para Guimarães, em breve de uma contrastaria.

A marca de contrastaria reproduz a marca de garantia do toque legal dos artigos com metais preciosos, ou assinala determinadas circunstâncias, e identifica a contrastaria que o utiliza pela definição do perímetro, que consiste, respetivamente, numa figura curva, ou num octógono irregular simétrico, consoante se trate das Contrastarias de Lisboa ou do Porto. São as conhecidas marcas constituídas pela cabeça de um veado, ou por uma andorinha, no caso dos artigos em ouro, ou a cabeça de uma ave virada com o bico para a esquerda ou para a direita, no caso da prata, para mencionar apenas as mais comuns.

A contrastaria, em Portugal, é feita pela Imprensa Nacional Casa da Moeda, em Lisboa e no Porto. Isto obriga a que as empresas de um setor que, em 2018, teve um volume de negócios de 17,6 milhões de euros, no concelho de Guimarães, a deslocarem-se permanentemente ao Porto para contrastarem as suas peças.

Para se ter uma ideia da importância deste setor para a economia vimaranense e portuguesa, em contraciclo com a economia, teve um crescimento de pessoal ao serviço de 33%, um crescimento do volume de negócios de 37,4%, um aumento do capital próprio de 12,7% e incremento das exportações de 175% e um saldo da balança comercial positivo em 182,2%.

Estas empresas dos setores da joalharia  e da filigrana que se encontram espalhados por várias freguesias do concelho de Guimarães e que também são muito relevantes no concelho vizinho da Póvoa de Lanhoso passarão assim a poder fazer o contraste das sua peças na cidade de Guimarães. “Existe um compromisso com o presidente da Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM), para que isto se possa fazer em Guimarães”, assegurou Ricardo Costa.

Sem adiantar ainda datas para a inauguração deste serviço na cidade o vereador afirmou que “será num curto espaço de tempo”. Ricardo Costa adiantou ainda que, numa primeira fase, algumas empresas poderão passar por uma auditoria da INCM que lhes garanta “uma espécie de via verde”, em que serão elas mesmas a contrastar as peças ” e isto pode acontecer de imediato”.  Numa fase posterior será então instalada em Guimarães uma contrastaria.

Na mesma altura o vereador Ricardo Costa anunciou a criação de um prémio de design na área da joalharia, em parceria com o Instituto do Design e a INCM. Um prémio anual que “possa ser apresentado em feiras internacionais”. O objetivo é que estas empresas de Guimarães, que já fabricam para grandes marcas da joalharia internacional, possam desenvolver marcas próprias e com isso acrescentar valor aos seus produtos e reter esse valor em Guimarães.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?