Achados arqueológicos atrasam obras na Torre da Alfândega.

Estão paradas, desde setembro de 2020, as obras de requalificação da antiga Torre de Alfândega, devido a vestígios arqueológicos encontrados naquele local, na área das fundações na muralha de Guimarães.

@Eliseu Sampaio/ Mais Guimarães

A Câmara Municipal lancará em breve um novo concurso para a finalização da intervenção iniciada em fevereiro de 2020. A anulação do concurso anterior, segundo Domingos Bragança, não obrigou a qualquer “compensação indeminizatória”.

O “projeto de adequação” à intervenção no edifício, classificado como Património Nacional, e cujas especificidades não estavam previstas no caderno de encargos anterior, motiva agora o lançamento deste novo procedimento concursal com as alterações sugeridas pelos técnicos da Câmara Municipal e da Direção Regional de Cultura de Norte.

As obras de requalificação da torre, que detém a célebre inscrição “Aqui Nasceu Portugal” deveriam estar concluídas neste verão, a tempo de serem inauguradas a 24 de junho, feriado municipal. Domingos Bragança espera que a se concluam até ao final do ano ou no início de 2022. Mas, “o mais importante é que fique bem feito”, disse o presidente da Câmara Municipal, no final da reunião de câmara desta segunda-feira, 22 de março.

A requalificação prevê a criação de um elevador panorâmico, garantindo a acessibilidade ao interior da Torre até ao último piso (terraço) no qual se detém uma vista sobre a Alameda, Toural, Castelo, Paço dos Duques, Palácio Vila Flor e restante edificado envolvente. A intervenção permitirá também “a acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida”.

A empreitada anterior estava traduzida num investimento a “rondar os 900 mil euros”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?