APsi QUER ESTREITAR A SUA RELAÇÃO COM A COMUNIDADE

O desígnio foi assumido por Adriana Sampaio, presidente da Associação de Psicologia da Universidade do Minho (APsi), que une a academia e os municípios de Braga e Guimarães.

© Mafalda Oliveira /Mais Guimarães

Focada numa maior abertura à sociedade e à inovação, a Associação de Psicologia da Universidade do Minho (APsi) assinalou esta quarta-feira o seu quarto aniversário, na sua sede em Guimarães, na antiga estação da CP.

A APsi foi criada a 04 de janeiro de 2016 e é uma associação de prestação de serviços de psicologia à comunidade e resulta de uma parceria entre a Universidade do Minho, através da Escola de Psicologia e dos Serviços de Ação Social, e as Câmaras Municipais de Braga e de Guimarães.

De acordo com a presidente, Adriana Sampaio, a APsi está prestes a lançar um novo site, que irá refletir a sua nova estrutura organizativa. “O novo site configurará outros cenários de abertura da APsi à sociedade, à inovação e transferência de conhecimento, através da partilha do nosso know how, gerado na Universidade do Minho”, referiu a presidente.

A associação minhota pretende solidificar as suas parcerias institucionais, no sentido de “maximizar a capacidade de realização de projetos comuns de interesse local e regional”, revelou Adriana Sampaio. “Queremos estreitar o nosso contacto com a comunidade e criar uma maior eficiência na partilha de conhecimentos, recursos e patrimónios a diferentes populações”, assumiu.

Sendo uma “plataforma de interação com a comunidade envolvente”, neste caso Braga e Guimarães, a APsi “pretende assumir perante a sociedade um compromisso de desenvolvimento baseado no conhecimento científico, procurando capacitar a sociedade nas suas diferentes valências de conhecimentos, modelos, estruturas e ferramentas que permitam um desenvolvimento social harmonioso e realmente galvanizador do seu potencial”, acrescentou.

Braga e Guimarães com papel relevante “na sinalização de necessidades”

Segundo a responsável, o envolvimento dos municípios na associação assume “um papel relevante na sinalização de necessidades e potencialidades dos cidadãos, facilitando o acesso a alvos prioritários de intervenção psicológica”.

Também presente na sessão, Adelina Pinto, vice-presidente da autarquia vimaranense, apontou que Guimarães e Braga “trabalharam afincadamente numa resposta social de enorme importância para o território”. “Conseguir colocar ao serviço da comunidade este know how académico e colocar esta transferência de conhecimento em diálogo com as dificuldades da comunidade torna a APsi uma mais valia crucial num território com pessoas carenciadas”, apontou Adelina Pinto.

Por sua vez, o reitor da academia minhota, Rui Vieira de Castro, elogiou o trabalho desenvolvido pela Escola de Psicologia, que “é significativo na ligação e prestação de serviços à comunidade”. “A Escola de Psicologia foi capaz de evoluir e a APsi e um exemplo dessa evolução”, frisou.

Rui Vieira de Castro disse estar satisfeito com o trabalho que tem sido desenvolvido pela associação, assumindo a expectativa de que a sessão desta quarta-feira funcione como uma alavanca para a APsi avançar “em novas direções e procurar de novos resultados”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?