ARMANDO MARQUES LANÇA CRÍTICAS A JÚLIO VIEIRA DE CASTRO

A Lista “Contigo Vitória” continuou as sessões de esclarecimento na noite de segunda-feira, na sede da Junta de Freguesia de Ponte.

Armando Marques, vice-presidente para o futebol, apontou duras críticas a Júlio Vieira de Castro, candidato da Lista A, rejeitando a alcunha de “moço de recados” do presidente Júlio Mendes. “Em eleições temos que discutir projetos e pessoas, e o que eu não posso aceitar nunca, é que façam ataques e juízos de valor e caráter”, começou por dizer Armando Marques. “Se sou ou não moço de recados, fica com ele, eu acho que não sou”, disse.

“Eu não posso discutir projetos com ele, porque ele não tem nenhum projeto, por isso vou ignora-lo, mas vou discutir pessoas, a começar por ele. A minha forma de estar na sociedade é algo que não pode ser compatível com alguns pensamentos que ele tem”, afirmou o vice-presidente, acusando Vieira de Castro de, em novembro de 2017, numa altura em que já preparava a candidatura, de ter insultado as forças da autoridade num fórum online para vitorianos: “em novembro de 2017 escreve o seguinte sobre as forças de segurança: a PSP são um bando de cães raivosos sem cérebro. Mentira, os cães, mesmo raivosos, têm cérebro”. Sobre o caso, Armando Marques vai mais longe, dizendo que não é este o Vitória que deseja e que “aquelas personalidades que estão ao lado do Júlio Vieira de Castro, se aceitarem este tipo de crítica, no mínimo são coniventes com este pensamento”.

O vice-presidente lembrou também o caso de racismo que afetou o jogador vitoriano Konan, para dizer que Júlio Vieira de Castro, a 12 de fevereiro de 2018, condenou a ação, mas a 28 de setembro de 2017 dizia que “não é necessário malhar no Konan, ele enterra-se sozinho. Mais fraco que isto não há, não se consegue descobrir igual nem nas aldeias do Quénia”. Armando Marques leu também um comentário de Júlio Vieira de Castro no conhecido fórum online, onde o candidato da Lista A dizia que iria apoiar o Braga na final da Taça de Portugal, diante do Porto.

Júlio Vieira de Castro chamou “insolvente” a Armando Marques, na última sexta-feira. Na resposta, Júlio Mendes afirmou que “não saber que se uma pessoa estivesse insolvente, não poderia ser administradora da SAD, não está apto para ser presidente do Vitória e não sabe do que está a falar”.

Isidro Lobo: “adversários mas não inimigos”

O candidato a presidente da Assembleia Geral pela Lista B lembrou que as duas equipas que se vão enfrentar são adversárias, mas não inimigas. “Isto é uma luta, porque temos que mostrar que somos melhores que eles. Mas no fundo somos todos vitorianos”, disse.

Modalidades sem “grandes propostas”

Júlio Mendes afirmou aos presentes na sessão de esclarecimento que não tem “grandes propostas” para as modalidades amadoras do clube. “Vamos seguir uma política de sustentabilidade, mantendo uma postura eclética”, afirmou o candidato, reforçando a ideia de que a Câmara Municipal de Guimarães tem que apoiar mais o Vitória: “o apoio da Câmara só chega a 10% do orçamento das modalidades, os próprios sócios contribuem mais que o Estado”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?