Atividade letiva interrompida por 15 dias

A escolas ficam, para já, fechadas por 15 dias. Depois disso, a medida será reavaliada.

“Desejamos que esta interrupção letiva seja de curta duração e tenha compensação no calendário escolar”, referiu António Costa.

O primeiro-ministro anunciou que as creches, as escolas e as universidades vão fechar durante 15 dias já a partir de sexta-feira, 22 de janeiro. O encerramento das escolas será, na prática, um período de férias que será compensado noutro período de férias. Não haverá, assim, ensino à distância durante estes 15 dias.

Mantêm-se abertas as escolas de acolhimento a crianças com menos de 12 anos cujos pais têm de trabalhar. Quanto ao ensino superior, as instituições estão em época de exames e “poderão ter de ajustar esse calendário de avaliação”.

Os pais de menores de 12 anos vão voltar a ter apoio, tal como na primeira fase, anunciou António Costa. O apoio corresponderá a 66% do vencimento.

Ao Mais Guimarães, Adelina Paula Pinto, vereadora da educação, explicou que há uma identificação feita “dos alunos que precisam de ficar na escola, por questões sociais, familiares, psicológicas” e que esses alunos poderão continuar nas escolas. Deste modo, o risco diminui “drasticamente. Uma coisa é uma escola ter 500 alunos. De repente tem 50.” 

As lojas de cidadão estão encerradas, mantendo-se apenas o atendimento por marcação. Nos tribunais, estão suspensos os prazos de processos não urgentes.

A decisão foi anunciada pelo Primeiro Ministro esta quinta-feira, 21 de janeiro.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?