AVH será “uma associação ativa, próximas dos seus associados e dos seus problemas”

Os novos membros dos órgãos sociais da Associação Vimaranense de Hotelaria tomaram posse este sábado, 22 de janeiro. José Diogo Silva é o novo presidente da associação.

© Direitos Reservados

José Diogo Silva acredita que “sendo dado o privilégio de participar nas decisões, para os cidadãos e para as sociedades, esse privilégio funciona como estabilizador da vida pública”. É isso, explicou, “que permite dar melhores condições de vida aos cidadãos consoante a sua experiência diária e não consoante ideologias ou formas de pensar individuais”. Uma associação é, por esse motivo, “um órgão que representa uma certa parte da sociedade que, perante a decisão dos seus sócios e concidadãos, torna a vida destes mais justa e equilibrada”.

Ciente de que “não vai ser fácil”, garantiu que a AVH será “uma associação ativa, próximas dos seus associados e dos seus problemas. Uma associação boa é uma associação que cria pontes e não muros. Uma associação boa é aquela que reconhece valor em todos e que conta com esse valor para o futuro das pessoas. Uma associação boa é aquela que permite uma relação mais próxima entre associados, direções e comunidade local”.

“O futuro será melhor, mais completo e mais empático”, espera José Diogo Silva que assume que a “AVH tem futuro, a AVH é futuro”. Um futuro que “poderá trazer a mudança, não nas grandes coisas, mas sim nas pequenas”.

Confessou que foi “o desejo de tornar Guimarães uma cidade melhor” que motivou esta candidatura.” Não podia pura e simplesmente ficar na vaga ideia do meu pensamento”, disse. “Guimarães foi contruída e alicerçada num espírito de conquista, de batalha, de sonhos, de liberdade e até mesmo num espírito de utopia. Nunca ela nos foi dada de mão beijada. Nunca este sentimento único, bairrista e de pertença nos falhou. Ter isso, é um privilégio para entendermos que só através do diálogo e da junção de forças, todos, e repito, todos, caminharemos para um futuro melhor”.

Diogo Leite Ribeiro, presidente da mesa da Assembleia Geral, salientou que “o mandato que se inicia tem uma base de trabalho que, pela qualidade da obra feita, foi muito positivo. Não podemos olvidar que é nos primeiros anos de vida que as dificuldades vividas por todas as instituições são maiores”.

Acrescentou ainda que “vivemos um tempo de incerteza, de avanços e recuos, em que os poderes públicos nem sempre têm a sensibilidade necessária para apoiar os projetos da economia do turismo”. Guimarães precisa, defende, “de mais e melhor turismo, de turistas nacionais e de estrangeiros”.

“Tendo Guimarães apenas 2.000 camas disponíveis, o que significa que é o 30.º concelho em termos de maior capacidade instalada, é apenas o 44.º concelho no que às receitas diz lugar. Esta diferença demonstra que temos um potencial que não está a ser aproveitado, o que poderá ter algumas causas e outras explicações, que cumpre analisar e corrigir em conjunto”, denunciou Diogo Leite Ribeiro.

Na cerimónia de Tomada de Posse, a AVH aproveitar para entregar prémios de reconhecimento ao Cor de Tangerina, ao Le Babachris Restaurant, ao Hool Restaurante e A Cozinha por António Loureiro.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?