BASQUETEBOL DO VITÓRIA DESCONTENTE COM ESTUDO DO CED

O Centro de Estudos do Desporto publicou, na página da Tempo Livre, os resultados de um estudo sobre o número de praticantes federados no concelho de Guimarães em 2018/2019 que causou mau estar entre jogadores, técnicos e dirigentes do basquetebol do Vitória.

No texto da publicação aparecem mencionadas as modalidades com mais praticantes: o futebol, com 3301, seguindo-se o ciclismo, 639, karaté, 322, futsal, 320, andebol, 233 e o voleibol, com 225 atletas.

Os dirigentes do basquetebol contestam que os resultados sejam apresentados desta forma e lembram que em modalidades como o ciclismo e as artes-marciais, muitas das pessoas só estão federadas para acederem aos seguros federativos. “O número real de atletas a participar em competições, nestas modalidades, é muito inferior ao que vem expresso na publicação e isso não se lê em lado nenhum da publicação. Isto induz as pessoas em erro relativamente ao trabalho que é feito”, afirma Pedro Guerreiro, diretor do basquetebol vitoriano.

No texto completo do estudo, o basquetebol vem referenciado como a sexta modalidade com mais atletas federados, com 182, atrás das modalidades já mencionadas. A secção de basquetebol do Vitória afirma que também aqui há um equívoco. A lista de inscritos na Associação de Basquetebol de Braga contabiliza 220 atletas, uma diferença de 38 praticantes relativamente ao estudo do CED. Se tomarmos em conta a inscrição tardia de sete atletas dos escalões Mini, uma vez que a recolha de dados para o estudo terminou a 15 de fevereiro, há, ainda assim, uma diferença de 31 atletas. Pedro Guerreiro afirma que é difícil explicar isto aos atletas e aos técnicos.

Leia o artigo na íntegra na nova edição do jornal Mais Guimarães.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?