Bragança recusa proposta de Bruno Fernandes

O presidente do PSD questionou Domingos Bragança, no período de antes da ordem do dia, da Reunião de Câmara de dia 16, sobre a sua posição relativamente ao repto que lhe lançou em carta aberta, para enfrentar a pandemia de covid-19.

“O executivo municipal deve definir uma imediata estratégia de ação, com planeamento e critério, rejeitando soluções casuísticas ou que resultem apenas do pulsar efervescente da comunidade”, dizia a carta que o PSD Guimarães tornou publica no dia 10 de novembro.

Os sociais democratas propunham a realização de uma Reunião de Câmara Extraordinária, convidando um representante dos partidos com assento na Assembleia Municipal que não integram o órgão executivo. Reunião esta com um único ponto na ordem de trabalho – Avaliação e discussão de medidas concretas que contribuam para mitigar a pandemia sanitária e económica que afeta o concelho de Guimarães.

Domingos Bragança, em resposta afirma que, “o que tenho feito até agora é ouvir todos, o PSD e o CDS ouço-os aqui de 15 em 15 dias. Os partidos com representação na Assembleia Municipal, reunirei com eles a seu pedido, ou a meu pedido”.

“Cabe a quem tem que decidir nos diversos patamares de poder decidir”, acrescentou o presidente da autarquia.

Domingos Bragança concorda genericamente com a carta do PSD, embora discorde que o Município esteja a agir casuisticamente. “Temos um plano muito bem elaborado, que vamos acrescentando”, referiu o presidente.

Domingos Bragança continua a defender que quem devia liderar o combate à pandemia devia ser o presidente da Câmara. “O presidente da autarquia não tem acesso a dados e isso é um problema”, queixa-se Domingos Bragança.

“Estarei sempre disponível para reunir no recato da comunicação que tem que ser feita”, terminou o presidente da autarquia.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?