Bruno Fernandes questiona “flagelo” vivido ao nível das creches

Para Bruno Fernandes, da coligação Juntos por Guimarães, existe uma “lacuna naquilo que deve ser uma resposta pública que o estado e a administração central do Estado e os serviços centrados do Estado devem prestar a qualquer comunidade”. Fala em “flagelo” vivido ao nível das creches em Guimarães.

“Não há resposta capaz de suprir aquilo que são as necessidades identificadas”, diz sustentando a sua opinião. “Os jovens casais vivem esta problemática permanentemente” frisa, referindo que há um “trabalho extraordinário que é feito pelas IPSS do concelho”, mas que a as vagas existentes “respondem apenas a 50% daquilo que são as necessidades”.

Alertando para esta problemática, o vereador da coligação realça que “o município não pode fazer de conta que não existe este problema”, uma vez que se trata de uma “fase tão importante da vida das crianças”.

Domingos Bragança destacou a importância de “tratar dos seus em situações de debilidade” e afirmou que quer “estar no topo dessa resposta”. O objetivo, disse, é “que cada freguesia tenha a sua IPSS ou casa social e que nessa casa social ou IPSS tenha a resposta de creche”.

O presidente da Câmara de Guimarães realçou, contudo, que uma creche não é apenas “para acolher crianças”, tendo que ter “todas as condições técnicas certificadas nas instalações e organização para receber exatamente as crianças nesta valência”.

“É bom ter em conta que a Câmara de Guimarães dá valores na ordem dos três a quatro milhões, em média, no apoio direto às IPSS. Podemos é orientá-los exatamente para a área da creche”, esclareceu acrescentando que “não é só fazer a obra, é preciso entrar em funcionamento ano a ano”.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?