CAPTAIN BOY LANÇA ÁLBUM DE ESTREIA NO CAFÉ CONCERTO DO CCVF

Captain Boy, alter-ego de Pedro Ribeiro, lança o seu álbum de estreia, “1”, no próximo dia 27, no Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor.

Depois do “EP” homónimo editado em 2015, Captain Boy apresenta o primeiro trabalho de longa duração, a primeira viagem do cantautor, a que deu o nome de “1”. Um álbum sobre fragilidades que começa no número um da capa escrito numa placa de ishihara, que Captain Boy não lê porque é daltónico, e que termina quando chegamos a casa, na última música. Todo o álbum foi gravado na sua forma mais crua, despido de tudo o que é acessório, criando um canal direto entre as gravações e quem o ouve.

O primeiro single do novo disco, “Honey Bunny”, foi lançado em outubro. O segundo single chama-se “Sailorman” e já toca nas rádios desde o início do ano. O tema é uma conversa interior, como tantas que Captain Boy tem com o subconsciente. Uma conversa para limpar as manchas dos vidros que por vezes não nos deixam ter uma visão clara do que somos.

O concerto de apresentação do disco está marcado para o próximo dia 27 de janeiro, à meia-noite, no Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, a sua cidade natal. Neste concerto, o artista vai mostrar pela primeira vez o seu disco numa atuação que contará com algumas surpresas.

Este concerto de Captain Boy inaugura o ciclo de concertos SOM de GMR, que integrará um conjunto de 7 concertos protagonizados por projetos musicais nascidos em Guimarães, a decorrer de janeiro a maio, ciclo este assim descrito pelo seu programador, Rui Torrinha: “A música está (sempre) no ar mas por vezes não a ouvimos… não a vemos, não a sentimos. Mas ela está lá. Com o seu poder agregador e transformador. É preciso vivê-la mais e mais, por isso… Nasce este ciclo que pretende registar um período de criação particularmente fértil em Guimarães. Decidimos mapear um primeiro conjunto de músicos e bandas que está a inscrever na identidade cultural da cidade e do país uma assinatura contemporânea forte e muito diversificada. Numa só palavra: rica!

Uma mostra de 7 projetos que corporiza a visão do paradigma de cidade de criação, no qual Guimarães se está gradualmente a converter. Uma mostra que começa a alicerçar a ideia de music city cuja primeira base é naturalmente a emergência e afirmação do talento local.”.

Foto: DR

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?