CDS considera “inaceitável” estado de degradação na Igreja de Santa Marinha da Costa

Classificando a Igreja de Santa Marinha da Costa como um “importante monumento que muito honra a freguesia da Costa, a cidade e o próprio concelho de Guimarães” pelas suas “características arquitetónicas e simbolismo histórico”, a Comissão Política Concelhia de Guimarães do CDS deixa duras críticas à forma como a igreja tem sido preservada.

© Direitos Reservados

Em comunicado às redações, o partido refere que não considera “compreensível nem muito menos aceitável” a “situação de degradação e risco de ruína” em que se encontra a Igreja de Santa Marinha da Costa, condenando a Direção Regional da Cultura do Norte e a Câmara Municipal de Guimarães pela “passividade” demonstrada.

Numa Assembleia de Freguesia Extraordinária, foi “aprovada a constituição de uma comissão, com representantes da freguesia e de duas prestigiadas entidades concelhias, garantindo a representação local e a competência técnica, no sentido de promover e intervir na celeridade e efetivação das obras de restauro, prometidas ao longo de oito anos, bem como o acompanhamento de todo este processo”, lê-se na mesma nota.

Assim, a concelhia do CDS manifesta o seu apoio à moção que pretende “envolver a comunidade na defesa do seu património histórico, sem protagonismos políticos ou pessoais, apenas tendo em vista encontrar soluções e recuperar a dignidade que a Igreja do Mosteiro da Costa tanto merece”.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?