CDU conheceu “dificuldades e constrangimentos” do setor cultural

A candidata à Câmara Municipal de Guimarães pela CDU, Mariana Silva, o candidato à Assembleia Municipal, Torcato Ribeiro, e Nuno Carvalho, reuniram com a direção d’A Oficina de Artes e Mesteres Tradicionais de Guimarães, com o objetivo de conhecer as “dificuldades e os constrangimentos no setor da cultura” no concelho.

Para a CDU, o “setor cultural é um dos mais duramente atingidos pelo desinvestimento sistemático de anos de políticas de direita”, sendo que “as condições precárias do funcionamento deste sector e as condições precárias a que muitos dos seus trabalhadores estão sujeitos ficaram a nu e agravaram-se durante a pandemia”.

O direito de todos à cultura, para o partido, “depende de um investimento e planeamento robusto, tanto a nível local como a nível nacional”. Para “formar públicos exigentes e travar a precariedade a que os trabalhadores estão sujeitos” são necessários “projetos dinâmicos e acessíveis a todos”, acreditam.

Foram apresentadas “algumas preocupações e dificuldades na capacidade de intervenção para a conservação e manutenção física e operacional dos espaços” da responsabilidade d’A Oficina, mas “a informação prestada sobre o esforço que a direção fez para regularizar a situação laboral das suas equipas foi um sinal positivo”.

A “falta de uma rede eficiente de transportes públicos” foi apontada como um “fator impeditivo” de participação e usufruto dos vimaranenses nos eventos promovidos pel’A Oficina. Este problema “condiciona A Oficina a adaptar os horários da sua programação para a realidade de transportes coletivos existente, que é escassa durante o dia e quase inexistente de noite”, faz saber a CDU.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?