Deco Informa: Taxa Fixa ou Taxa Variável?

Aumentos têm levado muitos consumidores a repensarem e reorganizarem a sua vida financeira. 

dec-o

Os aumentos generalizados do preço dos bens/serviços e da Euribor têm levado muitos consumidores a repensarem e reorganizarem a sua vida financeira. 

© Direitos Reservados

Uma das despesas com maior peso no orçamento familiar é a prestação do empréstimo para aquisição da habitação, sendo que em Portugal grande parte dos contratos de crédito à habitação estão associados a uma taxa variável, isto é, a prestação irá variar consoante as oscilações do indexante escolhido, a Euribor a 3, 6 ou 12 meses.

No atual cenário com a Euribor a subir, as famílias estão conscientes que sentirão essa subida na sua prestação com maior ou menor impacto, consoante as condições contratualizadas e o seu orçamento familiar.

Cada vez mais os consumidores colocam a questão de alterar a taxa variável para fixa. Mesmo quem está hoje a contratar crédito à habitação avalie a opção da taxa fixa em detrimento da taxa variável.  Isto porque quem contrata crédito à habitação com uma taxa fixa não irá ser confrontado com as flutuações da Euribor na sua prestação, uma vez que a taxa de juro do empréstimo se mantém inalterada durante o prazo que tiver sido acordado com a instituição de crédito.

Que vantagens e desvantagens têm a taxa variável?

Vantagem: é uma taxa mais baixa que a fixa, logo tem um menor impacto no orçamento familiar.

Desvantagem: vai pagar prestações diferentes a cada 3, 6 e 12 meses, conforme o prazo que escolher e conforme a oscilação da Euribor, ou seja, a prestação terá oscilações da prestação ao longo de todo o empréstimo e consequentemente maior imprevisibilidade do valor da prestação.

Que vantagens e desvantagens têm a taxa fixa?

Vantagem: maior estabilidade; o valor a pagar ao banco é sempre o mesmo, logo maior facilidade de gestão do orçamento família atendendo a que a prestação se mantém inalterada.

Desvantagem: é uma taxa mais alta do que a variável nas mesmas condições, isto é, paga um preço mais alto pela segurança de não vir a ter a sua prestação aumentada.

Qual deve escolher, taxa fixa ou taxa variável?

Não há uma resposta certa para a questão colocada. Se olharmos para o histórico das taxas, verificamos que o período de taxa de juro altas na Zona Euro foi curto, o que leva a que nos últimos anos tenha compensado ter o crédito associado à taxa variável e não à taxa fixa.

Se está a ponderar alterar o regime da taxa de juro de variável para fixa comece por:

– Fazer o seu orçamento familiar de forma a poder analisar a sua situação financeira;

– Recolher várias simulações junto do seu banco e de outras instituições, analisar, comparar as simulações e as condições do seu contrato e ponderar bem todas as condições oferecidas;

– Calcular a sua atual taxa de esforço, que resulta das simulações e tendo presente que esta não deverá ser superior a 35%. Utilize o simulador do crédito à habitação do Banco de Portugal para calcular o valor da prestação mensal e o custo total do crédito.

PUBLICIDADE

Arcol

Partilhar

PUBLICIDADE

Ribeiro & Ribeiro
Instagram

JORNAL

Tem alguma ideia ou projeto?

Websites - Lojas Online - Marketing Digital - Gestão de Redes Sociais

MAIS EM GUIMARÃES