Desemprego em Guimarães está 25% acima dos valores de janeiro

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Guimarães representa um aumento de mais de 25% relativamente ao inicio do ano e de mais quase 20% relativamente ao mês homólogo de 2019.

Foto: ATP

Em outubro, até houve uma redução no número total de desempregados registados do IEFP de Guimarães. O número de pessoas à procura do primeiro emprego, pelo contrário, continua a aumentar.




Em janeiro de 2020, havia 5.841 desempregado inscritos no IEFP de Guimarães, em fevereiro esse número até baixou para os 5.770, mas desde que a pandemia chegou a Portugal, os números dispararam. Em março o número de inscritos no Centro de Emprego, no concelho de Guimarães, já tinha subido para 6.166 e no mês seguinte para 6.846. Um aumento de mais de mil desempregados em dois meses.

O mês em que o número de desempregados foi mais elevado, em Guimarães, depois de declarada a pandemia, foi setembro (7.337). Este número representa um aumento de 25,6% relativamente ao início do ano.

Em outubro, contudo, assistiu-se a uma redução do número de pessoas inscritas no IEFP de Guimarães (7.065), menos 272. Um valor que começou a subir, depois do verão, é o do número de pessoas à procura do primeiro emprego.




Em janeiro de 2020, havia 390 pessoas à procura de uma primeira oportunidade para entrar no mercado de trabalho. Esse número foi reduzindo todos os meses, até atingir um mínimo de 275, em Junho. A partir daí o número de jovens à procura de um primeiro emprego tem estado sempre a subir, em outubro atingiu um máximo de 432 pessoas.

Comparativamente com o mês de outubro de 2019, em outubro de 2020, houve mais 1.439 desempregados, em Guimarães, uma variação para cima de 20,3%.

Nos concelhos vizinhos, no mês de outubro, também houve redução do número de desempregados. Famalicão atingiu o valor de desemprego mais elevado em maio (5.027), durante os meses de junho e julho o valor baixou para 4.810, voltou a subir, em agosto, para 4.942, caiu nos dois meses seguintes e situava-se, em outubro, nos 4.731. Apesar desta descida, este valor ainda representa mais 38,6% de desempregados que no inicio do ano. O número de pessoas à procura do primeiro emprego também está a crescer, em Famalicão, eram 370, em setembro, passaram para 413, em outubro, no primeiro mês do ano, eram 302.

Em outubro de 2019, havia no concelho de Famalicão, 3.338 desempregados, menos 1.393 que no mês de outubro deste ano, mais 41,7%.

Em Braga, onde o número jovens à procura de uma primeira colocação também está a crescer, o número máximo total de desempregados, em 2020, foi atingido em agosto (7.754). O número de desempregados tem andado sempre acima dos 7.530, desde abril e estava, em outubro, nos 7.533. A contagem das pessoas à procura de um primeiro emprego também está a subir, em Braga, de 585 em setembro, aumentou para 677, em outubro. O desemprego está 16,8% mais elevado em Braga, em outubro, quando comparado com o inicio do ano.

No concelho de Braga, em outubro de 2019, contavam-se 6.298 desempregados, menos 1.233 que em outubro de 2020, o que significa um aumento de 19,5%.

Em Portugal havia, em outubro de 2020, 403.554 desempregado, menos 6.620 que no mês de setembro, uma redução de 1,6%. Ainda assim, comparando com o mês homólogo, do ano de 2019, há mais 103.535 desempregados no país, ou seja, mais 34,5%.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?