Domingos Bragança: “O grande entusiasmo que tenho é desta envolvência coletiva”

O atual presidente da Câmara Municipal candidata-se a um terceiro mandato com uma equipa reformulada.

© Cláudia Crespo/Mais Guimarães

Sente o Partido Socialista, que sustenta a sua candidatura, mobilizado para estas eleições?

Mais importante de tudo é que os vimaranenses estejam mobilizados para nos ouvir e para votar. Sinto que os vimaranenses querem ouvir e saber exatamente o que pretendemos fazer.

Já houve uma candidatura a Capital Verde Europeia. Já anunciou que é objetivo reeditar essa candidatura. Acredita que Guimarães está a percorrer os passos certos para conseguir esse estatuto?

Este é um caso em que a envolvência é tudo. A forte consciência ecológica e a interiorização dos valores da ecologia, da preservação do património natural, do ambiente, de vivermos em harmonia com a natureza, é um desígnio coletivo. Se há algo que me orgulha é exatamente este querer de uma comunidade inteira em defender a natureza. Temos o programa Pegadas, um programa ambiental que tem sido referenciado pela União Europeia. A interiorização dos valores ambientais começa pela nossa formação e as nossas crianças e jovens assumiram, de uma forma excecional, estes valores ambientais. Outra grande referência a nível da União Europeia são as Brigadas Verdes. Já temos cerca de 32 e espero que tenhamos todas as freguesias com Brigadas Verdes.

As ecovias, segundo a oposição, deveriam ter uma utilização mais para deslocações para o trabalho, eventualmente. Nesta área ambiental também há críticas relativamente a esta alteração de paradigma dos transportes públicos com introdução, só agora, segundo a oposição, de autocarros elétricos.

Eu pergunto: qual é o concelho que terá 22 autocarros inteiramente elétricos a circular no transporte público de passageiros? Temos a ecovia da cidade que faz as ligações principais e temos o projeto pronto para intervir em obra da adaptação. Tudo isto faz parte de uma política pública de um forte amor à natureza. Mais de metade do concelho, por estas ecovias, fica ligado. Quem quiser vir à cidade, através de um modo seguro, pode fazê-lo através da margem do rio. Estamos a falar em ecovias, mas também estamos a falar em modos suaves de locomoção.

Que soluções de mobilidade pretende implementar caso seja eleito?

Temos um grande objetivo que tem a ver com o caminho de ferro e o transporte ferroviário que se apresenta como o melhor modo de transporte para deslocações de média e grande distância. É fundamental e estratégico para Guimarães.

Também o sistema de mobilidade urbana para instalarmos o chamado autocarro em via dedicada. O grande problema do transporte público é que se não tem via dedicada, não pode garantir o horário, porque sofre com congestionamento. O uso do transporte público passa pela confiabilidade no horário e no conforto, porque contribui para a redução das emissões de carbono.

“Se há marca nos meus mandatos, é a marca do território e a marca de investimento em todas as freguesias com enorme intensidade.”

Domingos Bragança

Apresentou as habitações que estão já licenciadas pela Câmara, que poderão ser a solução para a perda de população no concelho. Que políticas de habitação pretende implementar?

A primeira é de habitação indigna. Temos que continuar a proporcionar habitação social a quem vive situações indignas de habitação e, portanto, uma prioridade é continuar a atender essas famílias. Depois há situação que surgiu agora com o PRR. Há 1.000 ou 1.500 mil milhões para a promoção de construção a custos controlados. Guimarães está a trabalhar num modelo em que lança um concurso público que dá fazer aquisições de casas que tem um modelo de construção que tem que seguir estes custos controlados, não poderá passar o limite de X valor e que tem que ter respostas ambientais na construção.

Outra questão é a dos custos controlados a preços moderados: não se pode ter preços moderados de aquisição ou arrendamento a preços moderados se não for construído controladamente. Temos cerca de 3.000 fogos licenciados por iniciativa privada. Nos Cães de Pedra são cerca de 500 a 600 casas e no Cavalinho podiam ser 900. Não quisemos que fossem 900, porque queremos qualidade na construção urbana. Há um compromisso entre quantidade e qualidade. Precisamos da quantidade de habitações, mas precisamos de manter esta qualidade urbanística da cidade e do território.

© Cláudia Crespo/Mais Guimarães

A oposição refere que estes últimos meses, até ao ato eleitoral, são meses em que as obras se dispersaram mais por todo o concelho. É o tempo de se realizar as obras numa realidade normal ou há aqui uma vontade de fechar algumas obras antes do período eleitoral?
O Rui Moreira disse: “uma das razões que me leva a recandidatar-me é que vivemos em pandemia, atrasou-me um conjunto de projetos e nomeadamente de obras”. Apesar da pandemia, apesar de me dizerem para parar tudo, disse: “não, vamos continuar as obras”. Até porque temos algumas que são apoiadas do ponto de vista dos fundos comunitários e os fundos comunitários não vão esperar. Quem mais fica prejudicado com este atraso sou eu. Se há marca nos meus mandatos, é a marca do território e a marca de investimento em todas as freguesias com enorme intensidade.

Considera que Guimarães é atrativo para os investidores, para as empresas se instalarem, ou há dificuldades?

A grande riqueza de Guimarães não é de agora, é desde a primeira revolução industrial. Guimarães é o todo que vale por si esta força sistémica do conjunto empresarial. Quando se pensava num investimento forte, era a capital de distrito e, mesmo assim, Guimarães soube sempre ombrear com Braga.

Vai para estas eleições com uma equipa reformulada. Por que motivo alterou a equipa que esteve consigo nestes quatro anos?

Quem se candidata à Câmara assume a responsabilidade perante os vimaranenses e a escolha da equipa tem que ser minha. O futuro e cada dia que passa e cada mandato é diferente do anterior e é essa a aposta que eu faço.

Por que motivo devem, aqueles que nos estão a ler, votar no Partido Socialista?

Quero o melhor para Guimarães e trabalho no dia-a-dia. Acredito nos projetos e o grande entusiasmo que tenho é desta envolvência coletiva, deste saber da comunidade. Acredito que é este o caminho do futuro, esta possibilidade de potenciar e desenvolver as qualidades de cada uma das nossas pessoas. 

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?