Domingos Bragança vê Batoca Park como “um exemplo” para o “caminho de futuro”

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães esteve, ao final da manhã de hoje, na inauguração do Batoca Park. Domingos Bragança começou por explicar o atraso da obra e relevou o compromisso do município com a sustentabilidade. O edil fez referência à candidatura vimaranense a Capital Verde Europeia.

© Hugo Marcelo/Mais Guimarães

Um “espaço de encontro comunitário” para “a cultura, o desporto e o bem-estar”: foi assim que Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, começou por descrever o Batoca Park, inaugurado hoje ao final da manhã. O edil municipal fez questão de começar por explicar o atraso da obra, abordou as valências do novo espaço verde da cidade, fez referência à candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia e terminou por afirmar a importância de inaugurar este parque no dia em que se comemora a Batalha de São Mamede.

Fruto do Orçamento Participativo de 2016, as obras de construção do Batoca Park deram os primeiros passos em junho de 2021, concretizando-se a inauguração mais de um ano depois. A localização levantou ramificações que atrasaram todo o processo até porque foi necessário recorrer a entidades externas para receber as devidas licenças: “o atraso deve-se às autorizações que foram precisas para que esta obra se pudesse executar, a competência não era apenas e nem é apenas da Câmara Municipal”. Estar debaixo do viaduto da autoestrada “obrigou a diversas autorizações de diversas entidades”.

Enquadrado no Plano Estratégico de Áreas Verdes de Guimarães, o Batoca Park é “um exemplo do que nós queremos para este caminho de futuro”, disse o presidente do executivo municipal. E continuou: “em Guimarães abraçamos o caminho do ambiente, do desenvolvimento ambientalmente sustentável”. O presidente da Câmara Municipal lembrou que a inauguração “é uma primeira fase” e que o trabalho é contínuo. “Os parques naturais, os parques de património natural, são parques que levam o seu tempo e têm o seu tempo, nunca estão concluídos porque é sempre preciso cuidar”, disse enquanto apelou à sensibilidade dos cidadãos e dos visitantes.

O edil afirma que, no âmbito do compromisso que Guimarães firmou com o caminho da sustentabilidade, o Batoca Park “é um exemplo do que nós queremos para este caminho de futuro” e está de acordo com a “responsabilidade” que a cidade assumiu ao apresentar, no passado, a candidatura a Capital Verde Europeia e a assumir novamente a candidatura num futuro próximo. Trata-se de percorrer o “caminho da educação ambiental, o caminho da proteção da natureza”. Na “data evocativa do dia um de Portugal”, Domingos Bragança vincou que é a “cultura da defesa do nosso ambiente, vivendo-o”.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?