É já ali, atrás dos montes, que fica o tesouro

Atrás do Marão, protegidos pelo granito que se eleva dos campos de oliveiras, que em extraordinários mosaicos, desenhados a régua e esquadro preenchem a paisagem, há tesouros a descobrir, imensos. Há experiências para viver e lugares ímpares a visitar. 

© Eliseu Sampaio/Mais Guimarães

Trás-os-Montes tem perdido população nas últimas décadas, num processo de desertificação que se tem acentuado pelo envelhecimento da população, pelo chamamento do litoral e pela globalização, que transforma qualquer lugar num lugar mais próximo. 

Trás-os-Montes é, no entanto, já ali, a pouco mais de uma hora de distância para qualquer vimaranense. E vale a pena fazer a viagem e descobrir alguns locais de paragem, obrigatória.

Mirandela

Situa-se a norte de Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães e Vila Flor, a leste tem Murça e Valpaços, a oeste o concelho de Macedo de Cavaleiros e a sul Vinhais. É uma ótima opção para ficar hospedado se pretender visitar por uns dias a região.

Tem como principal riqueza, para além da alheira, que é ex-libris gastronómico e um símbolo dos mirandelenses, a beleza das paisagens que são regadas pelos vários cursos de água que atravessam o concelho: o rio Tua, que divide a cidade; o rio Rabaçal; o rio Tuela; a ribeira de Carvalhais; a ribeira de Mourel e o rio Macedo, todos eles pertencentes à Bacia hidrográfica do Rio Douro.

Mirandela está inserida na área do Parque Natural Regional do Vale do Tua, na Reserva da Biosfera Transfronteiriça da Meseta Ibérica, e tem diversos locais com interesse cultural e geológico.

Albufeira do Azibo

Localizada em Macedo de Cavaleiros, a albufeira do Azibo é já muito procurada como destino de verão e conta com duas praias, a da Ribeira e a da Fraga da Pegada, distinguidas com Bandeira Azul, há 12 anos e há 18 anos, respetivamente.

As duas praias fluviais receberam também, este ano, o galardão “Qualidade de Ouro 2021”, atribuído pela associação ambientalista Quercus. A praia da Fraga da Pegada foi até considerada a melhor praia fluvial no ano de 2019. 

Distinções à parte, a temperatura sempre muito agradável da água, os areais de dimensões razoáveis, os relvados onde se esticam toalhas e as animadas conversas acontecem, transformam este num local que merece destaque numas férias de verão em território transmontano.

Ao lado da Albufeira, devemos visitar Podence, cujos caretos foram oficialmente reconhecidos como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, em 2019.

Vinhais 

Vale a pena dedicarmos algum tempo a descobrir esta bela e acolhedora Vila, descansarmos apreciando as suas paisagens, banharmo-nos nas suas praias fluviais, deliciarmo-nos com algumas das suas especialidades gastronómicas, com destaque para o famosíssimo fumeiro, mas sobretudo desfrutarmos da amabilidade das suas gentes.

Percebemos em Vinhais, como noutras localidades transmontanas, que este território merece ser visitado também de inverno, ou noutra qualquer estação do ano. Naquela Vila em particular, valerá a pena descobrir a invulgar Rota Gastronómica do Javali, que acontece no último fim-de-semana de janeiro, e o Festival Gastronómico do Grelo, que durante os dias de Carnaval decorre nos restaurantes de Vinhais.

Na saída da Vila, se apanharmos a EN 103 que liga Vinhais a Bragança, ao descermos para o vale do rio Tuela, encontramos uma belíssima praia fluvial para nos refrescarmos, junto à Ponte da Soeira. O rio Tuela tratou de fazer ali uma pequena albufeira natural, uma praia abrigada do vento e com boa exposição solar. 

Bragança

A Capital de Trás os Montes conserva um património rico e bem preservado, e possui um centro histórico que se percorre facilmente a pé e cujas pedras contam uma história que remonta à idade do bronze, e com marcas da presença de romanos, suevos e visigodos.

No ponto mais alto da cidade ergue-se ainda uma belíssima Torre de Menagem, quatrocentista, que se destaca num dos mais harmoniosos e bem preservados castelos do país.

Em termos monumentais, merece destaque também a enigmática Domus Municipalis, edifício que remonta ao sec. XIII e se acredita ter sido local de reunião dos “homens bons” do concelho. 

Mas os tesouros monumentais não se limitam ao coração da cidade bragantina, havendo um grande número de edifícios merecedores de uma visita.

Em Bragança, é de passagem obrigatória também a freguesia raiana de Rio de Onor, uma aldeia fronteiriça e com fortes raízes comunitárias, e Montesinho, com as suas casas de pedra e telhados de xisto.

© Eliseu Sampaio/Mais Guimarães

Trás-os-Montes é um canto de Portugal que possui um património único que deve ser calmamente apreciado. Tire uns dias e parta à aventura.

E porque boa parte desta viagem acontece à mesa, no desfrutar da rica e variada cozinha transmontana, ficam algumas sugestões de iguarias e produtos que devem ser saboreados: Pratos de Caça, Posta Mirandesa, Fumeiro, Alheira, Grelos, Cabrito e Bacalhau assados, Casúlas secas com Butelo, Azeite, Vinhos, Arroz doce, Pudim de castanha, Rosquilhas e Mel.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?