ELEIÇÕES À SANTA CASA DA MISERICÓRDIA INVESTIGADAS POR ALEGADAS IRREGULARIDADES

O Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Braga está a investigar alegadas irregularidades nas eleições para o novo provedor da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães. Fonte da Arquidiocese de Braga adianta que o assunto está ainda a ser analisado.

 

 

As eleições para provedor da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães estão a ser investigadas por alegadas irregularidades. O caso está a ser avaliado pelo Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Braga, sendo que ainda não há qualquer decisão conhecida e comunicada às partes.

O ato eleitoral, que decorreu no passado dia 24 de novembro e que contou com José Catarino, a concorrer pela lista A, e Eduardo Leite, vencedor do mesmo e a concorrer pela lista B, não está ainda oficialmente terminado uma vez que se encontra neste momento sob análise. Segundo fonte da Arquidiocese de Braga, “foi constituído um grupo de trabalho no Tribunal Eclesiástico, que está neste momento a analisar o processo e que oportunamente vai emitir uma decisão acerca do mesmo”.

As alegadas irregularidades foram transmitidas à Arquidiocese de Braga pela Mesa da Assembleia Geral, liderada por Isidro Lobo, e que se encontra em funções até ao final deste ano, dia 31 de dezembro. De acordo com Isidro Lobo, em causa estão duas irregularidades, ou seja, duas situações distintas, que neste momento ainda estão protegidas pelo segredo de justiça.

“Foram comunicadas duas irregularidades ao arcebispo e à União das Misericórdias, que é aquilo a que os estatutos me obrigam. A partir daí deixa de estar nas minhas mãos e temos de aguardar pelo Tribunal Eclesiástico e que o tribunal chame todas as partes”, explicou o presidente da Mesa da Assembleia Geral, que afirmou que ele próprio ainda não foi contactado. Eduardo Leite, provedor eleito a 24 de novembro, revelou também não ter sido contactado de forma oficial sobre o caso. “A única coisa que eu sei, e que toda a minha lista sabe, é que no fim da votação o presidente da Assembleia de voto perguntou a ambas as partes, à lista A e à lista B, se havia alguma coisa que quisessem dizer, sobre alguma coisa que não esteve bem ou que tivesse acontecido, e tanto uma parte como a outra disseram que não, que estava tudo bem e que correu tudo bem. Depois disso, o Eng. Isidro lobo relatou os resultados eleitorais e os dois responsáveis pela minha lista que lá estavam a aguardar a contagem dos votos vieram embora”, relatou Eduardo Leite.

De acordo com o provedor eleito, tudo o que se passou após o anúncio dos resultados é-lhe desconhecido. “Tudo o que se passou, tudo o que poderá ter sido dito, foi após o encerramento da mesa eleitoral. A partir daí, não sabemos rigorosamente nada, nem os motivos da contestação. Estamos tranquilamente à espera que seja comunicada alguma coisa”, admitiu.

Contactado pelo Mais Guimarães, José Catarino, na altura candidato a provedor pela lista A, não se quis pronunciar acerca do caso.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?