Empresa têxtil Love Lace relocalizou-se em Guimarães e emprega atualmente 16 ucranianas

Empresa foi visitada pelo presidente da Câmara Municipal de Guimarães e pelo Secretário de Estado do Trabalho.

lova lace com barra

O processo conducente à reinstalação de uma empresa ucraniana, especializada em artigos de luxo para senhora, em Guimarães, devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, foi na tarde da passada sexta-feira, 17 de março, elogiada pelo secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, como um exemplo de como a conjugação de esforços de várias entidades resolvem celeremente os problemas.

© Direitos Reservados

Na visita à Love Lace, em que esteve também presente Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, o governante ficou a conhecer os passos que foram dados para que fosse possível a empresa voltar a laborar, e agora em Guimarães.

Após uma visita pelas instalações da empresa, acompanhada de explicações do seu responsável, Miguel Pimenta, seguiram-se as intervenções com Domingos Bragança, presidente da Câmara, a referir serem os imigrantes uma afirmação da nossa identidade solidária, mas também uma oportunidade, quer em termos demográficos quer em termos económicos. “Temos que pensar no melhor modo, integrado, de os incluir. Esta é uma realidade que veio para ficar, pelo que precisamos, por exemplo, de pensar numa escola que olhe para os filhos dos migrantes (refugiados de guerra e dos que escolhem Portugal para trabalhar e viver) e se readapte. O ensino multilingue terá que ser uma realidade, e o município de Guimarães está disposto a trabalhar com os Ministérios da Educação e do Trabalho e Segurança Social para promover as parcerias necessárias para esse objetivo”, disse o edil.

Domingos Bragança disse ainda que “o papel das empresas no processo de instalação da Love Lace em Guimarães, bem como no acolhimento dos refugiados ucranianos em Guimarães, foi exemplar”.

Miguel Fontes, Secretário de Estado do Trabalho, disse ter ficado feliz por ver que em Portugal se desenvolvem esforços conjuntos para a resolução dos problemas, apontando o caso de Guimarães como um exemplo bem-sucedido e exemplar. “Temos que fazer tudo para que estas pessoas se autonomizem e se integrem, pelo que a questão da língua é essencial. Temos que reforçar esta resposta formativa. A escola deve ser inclusiva e cosmopolita. Essa é a escola do futuro. Temos que começar já e agradeço o papel liderante da Câmara Municipal de Guimarães e do Instituo de Emprego e Formação Profissional”, referiu o governante. Miguel Fontes manifestou ainda a sua satisfação por ver que a medida do PRR, Compromisso de Emprego Sustentável, serviu para dar resposta à relocalização da Love Lace, permitindo condições de trabalho digno. O Secretário de Estado corroborou a ideia de Domingos Bragança, de que, num país carente de pessoas, o fluxo migratório a que assistimos é benéfico.

Paula Oliveira, vereadora da Ação Social, fez um pequeno resumo de todo o trabalho que o município de Guimarães tem vindo a desenvolver no apoio aos refugiados, que data de 2015, aquando do fluxo migratório decorrente da guerra na Síria, e destacou o papel do Centro de Emprego, da Segurança Social e da Câmara Municipal no apoio dado à empresa ucraniana no processo de reinstalação, um processo multidisciplinar que foi também elogiado por Marta Mota Prego, da Divisão de Desenvolvimento Económico, trabalho que foi reconhecido por Miguel Pimenta, responsável da empresa em Guimarães, que agradeceu ao secretário de Estado e ao presidente da Câmara a visita às instalações.

PUBLICIDADE

Arcol

Partilhar

PUBLICIDADE

Ribeiro & Ribeiro
Instagram

JORNAL

Tem alguma ideia ou projeto?

Websites - Lojas Online - Marketing Digital - Gestão de Redes Sociais

MAIS EM GUIMARÃES