EVENTO DE ROBÓTICA EDUCACIONAL JUNTA MAIS DE MEIO MILHAR DE PESSOAS NA U.MINHO

A sua realização já não é uma novidade e o sucesso faz com que, edição atrás de edição, haja equipas que repetem a sua participação. Arrancou hoje a 13.ª edição da RoboParty, o maior evento de robótica educacional do mundo, no campus de Azurém da Universidade do Minho, em Guimarães.

Para quem tinha imaginado uma lista de condicionantes para marcar presença num evento desta natureza, basta por o pé dentro do pavilhão desportivo que imediatamente pensa de uma outra forma. Apesar de a maioria dos participantes virem de escolas, há até famílias que se inscrevem e que vêm de longe para três dias de aprendizagem diferentes. Dos mais novos aos mais velhos, dos mais evoluídos na área até aos que pouco a conhecem, todos vivem de forma intensa o evento que decorre ao longo de três dias.

Domingos Bragança e Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho, marcaram presença na sessão oficial de abertura, destacando a importância desta iniciativa para ajudar a desenvolver competências importantes a aplicar no futuro, mas também pela partilha de ideias e experiências. “Estamos perante uma plateia que constituirá de certeza os futuros engenheiros do país. Sabemos quanto importante é esta RoboParty porque é em equipa e em plataformas colaborativas que temos os melhor resultados, nesta pedagogia”, começou por afirmar Domingos Bragança, naquela que revelou ser uma ideia partilhada também por Adelina Pinto, vereadora da cultura e da educação.

Já Rui Vieira de Castro destacou uma “iniciativa particularmente importante no quadro das realizações da Universidade e da Escola”, que “pretende consolidar, desenvolver ou despertar interesse dos jovens e dos menos jovens pela robótica”. “Há aqui momentos que permitam evidenciar a capacitação técnica de cada uma das pessoas, mas há também a intenção de criar espaços de relação e de convívio”, concluiu.

De Vila Real chegou uma família, que já participa há vários anos. O mais novo, com 11 anos, e o mais velho, com 52, partilham o interesse com os restantes dois elementos da equipa e acreditam que a robótica “será o futuro”.

A reportagem completa, com os testemunhos dos participantes, para ler na próxima edição do Mais Guimarães, nas bancas a 13 de março.

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?