Exame de Português foi “razoável”, dizem alunos vimaranenses

Arrancou, esta sexta-feira, a primeira fase dos exames nacionais. Pelas 9h30, os alunos do ensino secundário estavam a postos para o exame de Português. Expectantes sobre os conteúdos que iriam ser abordados na prova, foi impossível controlar o nervosismo inicial.

© Direitos Reservados

Na Escola Secundária Francisco de Holanda, a grande maioria dos alunos decidiu aproveitar a meia hora de tolerância. Em entrevista ao Mais Guimarães, explicaram que a prova foi “razoável”, tendo sido abordados, na sua grande maioria, os conteúdos lecionados no 12º ano.

Lara ferreira Rodrigues, aluna de Ciências e Tecnologias, explicou que o exame correu “dentro dos possíveis, mas até esperava que corresse pior”. Revelou ainda que não estava à espera dos autores retratados no exame. “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, a “Mensagem”, de Fernando Pessoa, e o Sebastianismo foram alguns dos temas sobre os quais os alunos tiveram de responder.

“Estava à espera dos Lusíadas, mas também de José Saramago e Antero de Quental, o que não aconteceu”, acrescentou.

Questionada sobre se as aulas à distância afetaram as apredizagens de 10º e 11º anos, Lara Rodrigues responde assertivamente: “Sim”. “Nota-se perfeitamente pela minha média que este ano tive notas muito melhores do que nos anos anteriores.”

Já Beatriz Lima e Joana Marques esperavam que “o exame fosse bem pior”. Aluna de Economia, Beatriz Lima afirma que a pressão não esteve muito alta porque pretende que outro exame seja a sua prova de ingresso na universidade, mas, ainda assim, Português continua como segunda opção.

Constatanto que Frei Luís de Sousa foi o único autor que saiu no exame, e que foi lecionado durante o 11º ano, a aluna garante que o ensino à distância não comprometeu, de forma alguma, o seu desempenho no exame. “É um tema fácil de aprendermos sozinhos em casa”, completou.

Gabriela Simões e Carolina Silva assumem que “no geral o exame correu bem”, mas ficaram surpreendidas com os dois poemas na parte inicial. “No início estava um pouco apreensiva porque achei mesmo que iam sair outras coisas. Quando vi Os Lusíadas fiquei mais descansada porque é fácil de interpretar. Também achei o poema da Mensagem bastante fácil”.

No que à preparação diz respeito, afirmam que apenas estudaram “cerca de uma semana antes, mas foi o suficiente para fazer um bom exame”.

Por sua vez, os professores da disciplina consideram que a prova “foi difícil” e que “obrigava a pensar bastante”.

A prova de Português deu hoje o pontapé de saída para mais de 43 mil alunos do 12.º ano. As pautas são afixadas a 19 julho e, dois dias depois, arranca a segunda fase de exames.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?