GNR de Lordelo: Obras começam no início do ano

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e o presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, assumiram, esta segunda-feira, 28 de novembro, o contrato interadministrativo para construção do posto da GNR de Lordelo, numa sessão que contou ainda com as presenças do Secretário-Geral do Ministério da Administração Interna, Marcelo Mendonça de Carvalho, e do Comandante-Geral da Guarda Nacional Republicana, Tenente-General José Manuel Lopes dos Santos Correia.

© Direitos Reservados

Com prazo de execução de aproximadamente um ano, a obra terá o custo de 1,3 milhões de euros e José Luís Carneiro conta vir à inauguração. O Ministro da Administração Interna acredita que estamos perante um “exemplo de como o governo e as autarquias podem e devem colaborar”. As obras estão, explicou, assentes na “melhoria das infraestruturas e dos equipamentos para dignificar as funções policiais”. Referiu ainda “o rejuvenescimento e o fortalecimento das condições humanas para corresponder ao policiamento de proximidade e de maior visibilidade”.

Recorde que, em Diário da República, está escrito que os encargos financeiros resultantes do reembolso não poderão, em cada ano económico, exceder, aos quais acresce IVA nos termos legais, em 2023, os 754.745,56 euros e, em 2024, 616.864,55 euros. A importância fixada para o ano económico de 2024 “poderá ser acrescida do saldo apurado na execução orçamental do ano anterior”.

Com o concurso para as obras da GNR de Lordelo lançado e em fase de adjudicação, Domingos Bragança reforçou que “as forças de segurança têm de ter todas as condições materiais necessárias de conforto para fazer o seu trabalho”.

José Luís Carneiro anunciou ainda que o posto das Taipas receberá obras de reabilitação, estando em processo de conclusão.

Já no Paço dos Duques de Bragança, decorreu a cerimónia de apresentação do reforço de meios policiais para o distrito de Braga.

Os comandos distritais da PSP e GNR de Braga receberam um reforço de 60 novos agentes. O presidente da Câmara de Guimarães considerou fundamental reforçar os meios das duas forças de segurança de modo a ter “uma polícia próxima dos cidadãos e com uma visibilidade muito maior junto da população para que a autoridade seja notada no sentido da percepção da segurança e para uma atuação célere perante a eventualidade de alguma situação que possa acontecer”.

Recorde que os problemas relacionados com o posto da GNR de Lordelo arrastam-se há vários anos. Em 2014, a Associação dos Profissionais da Guarda (APG) alertava para a situação “miserável” das instalações: “chove dentro do posto, existem zonas a ruir e ratazanas que circulam nas instalações, quer na área reservada aos profissionais quer no atendimento ao público, tratando-se de uma questão de saúde pública”.

Em 2018, a então Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, assinou, em Guimarães, protocolos para a reabilitação do Posto Territorial da GNR das Caldas das Taipas e para a construção de novas instalações do Posto Territorial da GNR de Lordelo.

Em junho de 2020, Domingos Bragança afirmou que o projeto para a construção no posto da GNR em Lordelo estaria concluído em setembro desse ano. Em novembro de 2020, Antero Luís comunicou em Assembleia da República que o projeto estava concluído e seria daquela vez que “efetivamente Lordelo-Guimarães avançará”.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?