Guimarães vai receber III Congresso Histórico em 2023

Conferência de imprensa contou com a presença da Vereadora da Educação, Adelina Pinto, do Presidente da Casa de Sarmento, Antero Ferreira, e da Professora Maria Norberta Amorim, da Universidade do Minho.

Decorreu esta tarde de quinta-feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Guimarães, a apresentação do III Congresso Histórico, que se vai realizar de 25 a 27 de outubro de 2023, subordinado ao tema da Economia. O evento levado a cabo pela Câmara Municipal de Guimarães vai decorrer no Centro Cultural Vila Flor no próximo ano.

Segundo Antero Ferreira, este congresso, como já é hábito, irá centrar-se em cinco áreas temáticas: “a cidade antiga, a cidade medieval, a cidade moderna, a cidade contemporânea e a cidade do presente”. O Presidente da Casa Sarmento revelou ainda que irá existir uma “área específica sobre história local” com o objetivo de tentar “animar os investigadores que têm trabalhado aqui na região, particularmente em Guimarães”. Relativamente ao anúncio do congresso com mais de um ano de antecedência, Antero Ferreira explicou que é necessário tempo para se “difundir” a mensagem.

“Nós hoje fazemos a apresentação e iremos começar a fazer a divulgação nas redes universitárias. Após isso, iremos também enviar a partir de setembro/outubro aquilo que se chamam ‘chamadas de conferências ou de artigos’, que serão enviadas para os especialistas das mais variadas áreas para se poderem inscrever no Congresso. Posteriormente, tudo isto passará por um processo de inscrição e seleção dessas propostas”.

Por fim, destacou aquilo que considera, no seu ponto de vista, ser um “ponto de honra” da Câmara Municipal de Guimarães que são as Atas do Congresso. “Estamos cada vez mais a apostar no digital, e todas atas de todos os congressos estão publicadas numa página dedicada aos congressos que está alojada no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta. Acho que esse á o maior legado que a Câmara Municipal pode deixar à cidade, à investigação e ao país no fundo”, vincou

“Guimarães projetando-se como uma cidade com história onde historia interessa”, as palavras são de Adelina Pinto. Para a Vereadora da Educação, “conhecer o passado interessa para percecionar um melhor futuro”. Adelina Pinto considera que trazer “os maiores investigadores para Guimarães, uma cidade que todos querem conhecer” é também “deixar conhecimento, um legado disponível para todos”. A Vereadora da Educação destacou ainda a importância do papel desempenhado pelo Arquivo Municipal e a Casa Sarmento. “São duas intuições ligadas á nossa história e que têm sido cruciais nesta operação que é muito densa e complicada”

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?