JOÃO PEDRO VAZ TEM A PRIMEIRA “CARTA-BRANCA” DO SHORTCUTZ

Segunda sessão competitiva do ano acontece hoje (22h00), na sede do Cineclube de Guimarães.

Em março, o Shortcutz Guimarães cumpre dois anos de atividade e assinala o aniversário com algumas novidades. A primeira delas é a introdução da secção “carta-branca”, através da qual personalidades ligadas ao cinema como críticos, programadores ou artistas são convidados a escolher uma curta-metragem portuguesa e que servirá de mote para uma conversa sobre o cinema português e o seu próprio trabalho neste meio.

O primeiro convidado a receber “carta-branca” é o ator João Pedro Vaz que, em cinema, trabalhou com dois dos maiores realizadores portugueses: Manoel de Oliveira (“O Quinto Império”) e Paulo Rocha (“Se eu Fosse Ladrão …Roubava”). Também participou em filmes de criadores de gerações mais recentes como Ivo Ferreira (“Cartas da Guerra”) e Marco Martins (“Como Desenhar um Círculo Perfeito”). O seu trabalho mais recente para o grande ecrã foi “Colo”, longa-metragem de Teresa Vilaverde, estreado há ano no Festival de Berlim.

João Pedro Vaz é também ator de teatro e tem desenvolvido trabalho como encenador e diretor artístico, primeiro na companhia Comédias do Minho e, mais recentemente, no Teatro Oficina, em Guimarães.

A escolha de João Pedro Vaz recaiu sobre “O Turno da Noite”, de Hugo Pedro, estreado no Indie Lisboa do ano passado. O filme é uma reflexão sobre os impactos crise financeira sobre Portugal, em particular sobre a forma como esta atacou as expectativas da juventude do país.

A sessão 18 é a segunda da competição de 2018, na qual serão exibidos os filmes “Câmara Nova”, que marca o regresso ao Shortcutz Guimarães de André Marques – convidado em 2016 com “Luminita” –, e “Danke”, de António Sequeira, filme de época passado na I Guerra Mundial. A sessão está marcada para esta quarta-feira, pelas 22h00, na sede do Cineclube de Guimarães. A entrada é livre.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?