JÚLIO MENDES: “NÃO POSSO ADMITIR QUE ALGUÉM QUEIRA RECONSTRUIR O PASSADO POR CAUSA DE UM ATO ELEITORAL”

A lista “Contigo Vitória” iniciou esta noite, na Junta de Freguesia de Urgezes, as sessões de esclarecimento aos sócios. Perante uma centena de adeptos, e durante cerca de duas horas, Júlio Mendes e a sua equipa explicaram as propostas para o futuro, recordaram o passado, e deixaram recados aos adversários.

Júlio Mendes anunciou que, caso vença as eleições de 24 de março, será o último mandato que cumpre no Vitória: “não é saudável que as pessoas se perpetuem no Vitória”, disse. Para o candidato, a sua lista tem várias vantagens em relação à adversária: “temos mais experiência, networking, conhecemos todo o mundo do futebol, ou seja, não vamos começar do zero”. Júlio Mendes reafirmou também o desejo de poder usufruir do contrato televisivo que celebrou com a MEO, que diz ser “várias vezes mais vantajoso que o anterior”.

Durante a sua intervenção, Júlio Mendes deixou recados à oposição, liderada por Júlio Vieira de Castro: “não posso admitir que alguém queira reconstruir o passado só por causa de um ato eleitoral. Nos momentos difíceis quem deu a cara fomos nós e pusemos a nossa vida em risco pelo Vitória. Houve uma ponta de loucura, cheguei a estar assustado, mas conseguimos ultrapassar”.

Júlio Mendes rejeitou o papel de salvador do clube. “Não sou o salvador de coisa nenhuma. Não seríamos capazes de fazer nada sem os vitorianos”.

“O conselho de administração quando é eleito, é eleito para um mandato, tal como no clube”

O candidato da Lista B abordou também o polémico assunto relacionado com a relação entre o clube e a SAD caso não vença as eleições, rejeitando o cenário que se verifica em Belém: “o modelo que foi criado tem um nível de blindagem suficiente para que nunca aconteça aquilo que aconteceu no Belenenses”.

Questionado sobre se abandona o cargo de presidente da SAD caso perca as eleições de 24 de março, o engenheiro preferiu não fazer previsões do futuro. “O Conselho de Administração quando é eleito, é eleito para um mandato, tal como no clube. O mandato termina daqui a um ano. Portanto o Conselho de Administração vai decidir no fim do mandato, ou antes, se quiser, o que quer fazer. Cabe ao Conselho da Administração decidir o que quer fazer. A Administração é constituída por pessoas idóneas e vai saber, no momento em que tiver que tomar decisões, vai saber tomar as decisões que mais interessarem ao Vitória”, afirmou Júlio Mendes.

Importa recordar que o Vitória Sport Clube possui 40% da SAD, sendo o único acionista com ações de Categoria A. Segundo os estatutos da SAD vitoriana, “o presidente do Conselho de Administração será designado pelo acionista titular das ações de categoria A, mediante simples comunicação ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, podendo a decisão ser revogada pela mesma forma e só havendo lugar a eleição se a designação não for feita”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?