JVC: “FOI LANÇADA MUITA POEIRA PARA OS SÓCIOS DO VITÓRIA”

O movimento “Novo Vitória” prosseguiu esta quarta-feira, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, as sessões de esclarecimento aos sócios. Júlio Viera de Castro sublinhou que o Comendador Mário Ferreira está em consonância com o plano de financiamento da Lista A e apontou críticas ao acordo da lista opositora, de Júlio Mendes, com o Banco de Minas Gerais (BMG).

“Hoje [quarta-feira] foi um dia em que foi lançada muita poeira para os sócios do Vitória. O negócio da Altice não é de A, B ou C, é do Vitória”, começou por dizer o candidato da Lista A. Júlio Viera de Castro apontou logo de seguida para o comunicado de Mário Ferreira, maior acionista da SAD vitoriana, e para o encontro entre os dois em Inglaterra. “Mário Ferreira não esteve na Europa devido a problemas de saúde, mas posso garantir que reuni com o Comendador Mário Ferreira na última quarta-feira em Londres, onde apresentei o projeto”, disse.

O candidato deixou ainda elogios ao acionista maioritário. “Já descobrimos quem é o salvador do Vitória: Mário Ferreira. Este foi o homem que nos momentos de dificuldades esteve presente”, sublinhou Júlio Viera de Castro, acrescentando que “há quem tem 10 mil euros e não acompanhou o aumento de capital. É único homem que se gaba da sua obra e não é capaz de lhe dar crédito. Eu fiz parte do aumento de capital”.

Júlio Viera de Castro alegou que Júlio Mendes tem um acordo com o banco brasileiro, enquanto comparava os planos de investimentos das duas listas.

“Quando anunciamos o plano de investimento não somos doidos, não avançamos estes valores sozinhos. Nós não necessitamos atirar areia para os olhos das pessoas com o PSG ou o BMG… O nosso plano de investimento passa pelo Vitória, pela participação de Mário Ferreira, pelos sócios e pelas empresas da região”, explicou Júlio Castro, vincando que “quem apresenta a BMG e o PSG não conta com o Mário Ferreira”.

O candidato da Lista A foi mais longe nas criticas ao alegado acordo com o Banco BMG, afirmando que é um “interposto de jogadores”. “Caso não vençamos, o Vitória pretende colocar um banco a gerir o Vitória Sport Clube. O mesmo banco que transformou que o Cruzeiro de Belo Horizonte naquilo que se transformou ou o Santos de São Paulo… O nosso plano jamais descartará os sócios”.

Ziad quer equipa com personalidade

O candidato a diretor geral da SAD preconizada pela Lista A, Ziad, frisou que o “coração do problema é o futebol” e apresentou currículo.

“O presidente tem de acordar. Hoje vivemos num mundo globalizado. A inteligência não ter cor ou nacionalidade. A outra lista não tem ideias e aproveita para fazer ataques xenófobos. Eu estou aqui para trazer a minha experiencia, porque já ando há mais de 40 anos no futebol. Quando assisto ao futebol do Vitória fico triste. Para devolver o Vitória a outro patamar teremos que fazer outras escolhas, com pessoas mais profissionais e com uma visão mais profunda do futebol”, referiu.

O ex-jogador vitoriano idealiza uma equipa diferente da atual: “temos de ter jogadores com personalidade, com respeito à camisola ou que não tenham medo de assumir quando os sócios assobiam. Não quero uma equipa sem personalidade dentro e fora do campo”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?