Ligação de Mouril à Cidade Desportiva discutida na reunião de Câmara

No período anterior à ordem do dia da reunião de câmara desta segunda-feira, dia 22, que voltou a realizar-se por videoconferência, André Coelho Lima (ACL), vereador eleito pela coligação Juntos por Guimarães, lembrou a proposta apresentada por si, em 2017, de ligação da rotunda de Mouril à Alameda dos Desportos.

© Câmara Municipal de Guimarães

Para André Coelho Lima, falta realizar essa obra, que “não é de grande extensão, mas tem de facto um impacto estratégico fundamental, porque vai permitir, a quem vem de fora de Guimarães, o acesso à zona de Cidade Desportiva, que tem muitos equipamentos públicos, sem ter de passar pela zona do hospital. Hoje, todas as pessoas que queiram ir ver um espetáculo ao Multiusos, ou queiram ver um jogo de futebol ou de outra modalidade à pista Gémeos Castro, ou ver um familiar no Hospital da Luz, ou até aceder às Piscinas Municipais, tem de ir pela frente do hospital. Não lembra a ninguém, é uma coisa de falta de preparação”, disse o vereador da coligação JpG.

Domingos Bragança lembrou que o projeto já está a ser trabalhado pela Câmara Municipal, da construção de uma ligação entre a rotunda do Reboto, de ligação a S. Martinho de Candoso, até à Alameda dos Desportos, uma via que passará por trás das habitações existentes no lugar das Casas Novas. Uma via “com cerca de 150 a 200 metros” que incluirá uma ecovia para fazer a ligação ao parque de Ardão, em Silvares e às margens do rio Ave. “A ecovia da cidade ficará ligada à ecovia do Ave, para abraçarmos o rio Ave, para que ele fique integrado na cidade de Guimarães”. Disse Domingos Bragança.

“Eu tenho muitas dificuldades em perceber quais são as propostas que o PSD apresenta porque são um livro em branco”.

Domingos Bragança

Em resposta à intervenção de André Coelho Lima, o presidente da Câmara Municipal referiu que “quando vê que nós estamos a fazer, aquilo que for positivo passa a ser apropriado, e bem, pelo PSD, e eu não tenho nada contra isso, e aquilo que possa correr menos bem é rejeitado.” Disse Domingos Bragança. Acrescentando já ter dito ser preciso resolver o “problema existente no Lugar das Casas Novas que atrofia a passagem dos veículos automóveis”. Mas, “Estragar a Veiga de Creixomil, não deixo!” exclamou o edil.

No período com os jornalistas, no final da reunião, André Coelho Lima revelou “estupefação e com alguma tristeza”. Porque é uma reação, de Domingos Bragança, que “revela desconsideração, até arrogância. Lamento, acho que é uma manobra de baixa política. Porque chamar de uma folha em branco a propostas tão intensas, talvez até em 2017 tenhamos sido excessivos nas propostas que apresentamos, o senhor presidente dizer agora que são uma folha em branco revela algum incómodo com a circunstância de estar ele próprio a querer assenhorar-se de algumas destas propostas confiando na distração das pessoas e da comunicação social. Ao voltar a recordar que esta proposta é oriunda do PSD e da Coligação retiro a possibilidade que o presidente de Câmara se preparava para fazer de se aproveitar de uma proposta que não é sua, como sendo sua”, disse ACL.

Para o vereador, “convém não esquecer que o PSD e a coligação apresentaram isto em 2017 e apresentam novamente em 2021, tendo em conta a sua não realização”. O falso argumento que o senhor presidente vai utilizar é o da violação da Veiga de Creixomil. Não há aqui (na proposta) violação alguma, a não ser a que já está feita”, terminou.

No mesmo período, o presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, afirmou não querer “contribuir para a polémica numa fase em que se percebe que possa ser de pré-campanha. Quero que um conjunto de projetos essenciais para Guimarães continuem a realizar-se e se eles forem convergentes com toda a oposição e houver unanimidade, tanto melhor”, rematou.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?