LUÍS CASTRO: “NESTE MOMENTO, CADA JOGO É UMA BATALHA”

O Vitória desloca-se amanhã ao Bonfim, para defrontar o Vitória de Setúbal. Na antevisão ao encontro Luís Castro afirmou que a imagem deixada no último jogo fora não se pode repetir e revelou ainda que Rochinha será baixa no plantel, depois do falecimento da mãe.

Frente a uma formação que ocupa neste momento a 15.ª posição, com 22 pontos, Luís Castro espera determinação por parte dos seus atletas, naquela que será uma “batalha” pelos três pontos. “Confiantes estamos, confortáveis não. Quando entrámos para alguma coisa há sempre o desconforto de ter de atingir o objetivo debaixo de trabalho intenso e isso não nos deixa confortáveis. Mas confiantes estamos. O jogo encerra sempre algo desconhecido , muitas surpresas e desafios que temos de ultrapassar. Mas vamos com o objetivo de lutar muito pelos três pontos. Neste momento, cada jogo é uma batalha e essas batalhas têm o reflexo final na pontuação e nós temos consciência disso”, afirmou o técnico dos Conquistadores.

Sobre um Vitória de Setúbal que já mudou de treinador esta época, Luís Castro admite ser uma equipa que sofre poucos golos em casa e que, com Sandro a liderar o plantel, tem melhorado no momento ofensivo. “O Sandro tem variado num 4-4-2 losango e, no último jogo, num 4-3-3, mas quer num padrão quer noutro, as dinâmicas não diferem muito. Assenta muito na referência quer do Mendy quer do Cádiz na frente, são jogadores muito móveis e que ocupam várias zonas do terreno. É uma equipa que lança muitos homens no momento ofensivo e que tem muitos homens no ganho da segunda bola. É uma equipa boa, que nos últimos quatro jogos tem três empates e uma derrota no Dragão. O Vitória de Setúbal, nos últimos jogos, tem estado bem no seu momento defensivo, é uma equipa que sofre poucos golos em casa e o Sandro tem mantido isso com o aumento da agressividade ofensiva da equipa”, explicou.

A imagem deixada na última deslocação, ao terreno do Tondela, é algo que o técnico não quer que se repita, apesar de assumir que o erro faz parte da natureza humana. “Há uma coisa de que nunca podemos fugir, é da natureza humana: o erro. Muitas vezes acontece e gostaríamos que não voltasse a acontecer. Mas neste momento, já passado esse jogo, prefiro recordar aqueles em que tivemos muito sucesso fora. Os que nos desiludiram não deixam de ser referências, mas são muito mais referências os que tivemos sucesso. Agarramo-nos muito mais aos sucessos e ao que fizemos de bom para seguir em frente”, revelou Luís Castro.

O técnico abordou ainda a semana no seio do clube, com a morte do Sr. Albino Freitas, funcionário de longa data do Vitória, e também com o falecimento da mãe de Rochinha que, assumiu, não viaja com a equipa para Setúbal. “Não vamos contar com o Rochinha. É um momento difícil na vida do jogador”, referiu, acrescentando que “a partida do Sr. Albino marcou muito”. “O Sr. Albino representava um mundo mais racional, mais carinhoso, mais afetivo. Era um homem fantástico para nós e era um grande vitoriano. Adorava que o Vitória ganhasse mas sabia que, quando perdia, a forma de voltar a ganhar era apoiar os que tinham perdido a batalha”, concluiu Luís Castro.

A partida com o Vitória de Setúbal joga-se amanhã, no Bonfim, às 20h30.

 

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?