Luís Soares: “Uma maioria absoluta não significa governar sozinho”

Satisfeito pelo país, pela região e por Guimarães, Luís Soares, deputado eleito pelo Partido Socialista, acredita que “o resultado eleitoral dá um quadro de estabilidade governativo que Portugal precisa para este período de recuperação pós pandemia”. Ao Mais Guimarães, mostrou-se agradado por “perceber que os portugueses, habitantes desta região, e os vimaranenses reconheceram o trabalho que o PS desenvolveu nos últimos anos. Acrescenta-nos a responsabilidade no trabalho que temos agora de desenvolver”.

© Direitos Reservados

“Os vimaranenses sabem que foi nestes últimos anos que o nosso concelho mais avançou”, frisou Luís Soares. “A resposta que os vimaranenses deram foi, de facto uma resposta de que queriam que esta solução protagonizada pelo PS pudesse continuar e pudesse sair reforçada”, disse explicando que é assim que encaram os resultados, “com o sentido de responsbilidade de quem agora tem que cumprir aquilo que é a expectativa que está criada em torno do PS e do Governo do PS”.

O Partido Socialista conquistou, nestas eleições legislativas, a sua segunda maioria absoluta, tendo eleito 117 dos 230 deputados da Assembleia da República. Para Luís Soares, “é importante que naquilo que une o espetro partidário e os cidadãos, independetemente do voto, possamos ter um caminho” e, por isso, diz haver “muitas políticas e objetivos que unem” os partidos.

A governação deve ser, então, “alargada, não desrespeitando aquilo que foi o resultado eleitoral, mas criando condições para que haja uma participação alargada e dessa forma fazer avançar o país”. Fazendo um balanço do que foi a governação do PS até agora, “partilhada, naturalmente”, diz não saber “se o PS teria feito diferente se tivesse no primeiro mandato maioria absoluta”. O Orçamento de Estado não foi aprovado, no seu entender, “precisamente porque havia quem quisesse que o PS se desviasse da sua linha de ação”.

Para o futuro, o socialista garante que o partido vai continuar a fazer aquilo que fez nos últimos dois anos, “com um sentido de responsabilidade acrescido que resulta destas eleições. Sobretudo, percebendo que é importante para o país que as outras forças políticas possam dar o seu contributo”.

“Uma maioria absoluta não significa governar sozinho”, destacou Luís Soares dando conta dos seus objetivos. “Passam por desempenhar este mandato muito em linha daquilo que tem sido a forma de intervenção política que tenho procurado protagonizar. Muito disponível para os cidadãos, muito próximo das instituições e dos autarcas nas freguesias, na Câmara, representando a nossa região”.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?