Medidas de confinamento terão a duração de um mês

Depois de ouvir e de ter em conta as informações e projeções transmitidas pelos especialistas e peritos na reunião desta manhã, 12 de janeiro, o Governo vai reunir quarta-feira, 13 de janeiro, em Conselho de Ministros para definir as medidas de restrição para os próximos tempos.

À saída da reunião com os especialistas no Infarmed, o primeiro-ministro, António Costa, revelou que o novo confinamento generalizado no país terá o “horizonte de um mês”.

“O consenso generalizado é que, perante o que são números verificados e a tendência manifesta de crescimento da pandemia, é essencial adotarmos medidas, e que essas medidas tenham o horizonte de um mês e perfil muito semelhante ao que adotámos logo no início da pandemia, em março e abril”, afirmou o chefe do Governo.

Para o primeiro-ministro, “a única forma” de promover esse travão ao avanço da pandemia “é através dos confinamentos”. “Não são suficientes as medidas de confinamento ao fim de semana”, reiterou.

Uma das “divergências” entre os cientistas, e segundo o primeiro-ministro, está relacionada com o funcionamento das escolas. Porém, António Costa disse que “a dúvida está na faixa intermédia”. Para tal, serão tidas em ponderação as opiniões de várias figuras políticas e outros “atores”.

O Presidente da República, em isolamento, ouvirá os diversos partidos por telefone, e amanhã, o decreto será discutido na Assembleia da República e, durante a tarde, na reunião do Conselho de Ministros, o Governo decidirá as novas medidas a implementar no âmbito deste novo confinamento.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?