Ministra da Coesão Territorial conheceu os planos para o futuro do município nesta área

Ana Abrunhosa visitou vários equipamentos e conheceu projetos futuros.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, teve oportunidade de visitar vários equipamentos de Guimarães e de conhecer os projetos de futuro, “nomeadamente os que fazem parte de um plano de desenvolvimento do território que, durante os anos mais próximos, tem como objetivo colocar em prática uma visão de desenvolvimento centrada na digitalização da economia, com forte ligação ao centros de saber, no reskilling e upskilling dos recursos humanos, no empoderamento dos cidadãos através da ciência e do conhecimento, nas ligações da cultura às várias dimensões da sociedade, no desenvolvimento sustentável e na coesão territorial”, refere o município. A visita à cidade berço aconteceu na quarta-feira, 08 de julho.




Domingos Bragança, presidente da Câmara, que se fez acompanhar do reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, do presidente executivo do Gabinete de Crise e da Transição Económica, António Cunha, do presidente da CCDR-N, Fernando de Sousa, da diretora da UNU-EGOV, Delfina Soares, e da presidente do IPCA, Maria José Fernandes, fez questão de começar a visita pela Zona de Couros, uma nova centralidade que se pretende construir com base na recuperação e refuncionalização do edificado e na preservação do património industrial, e que tem vindo a ser alvo de um processo de candidatura a Património Cultural da Humanidade.

Aí, Ana Abrunhosa tomou contacto com os equipamentos já instalados, como o Centro de Formação Pós-Graduada, a Unidade da Universidade da Nações Unidas dedicada à modernização eletrónica, UNU-EGOV, o Centro de Ciência Viva de Guimarães e o Instituto de Design, não deixando de visitar os futuros equipamentos que fazem parte de um plano de “ampliação” da cidade, de cariz simultaneamente cultural, económico e social, como o Teatro Jordão e a Garagem Avenida, a Fábrica do Arquinho e a Quinta do Costeado, onde será instalada a Escola-Hotel do IPCA. A ministra da Coesão Territorial ficou também a conhecer os objetivos do Bairro C, um projeto estruturante que alinha o desenvolvimento do território com a estratégia cultural, em função do imaterial e de um olhar renovado acerca do uso do espaço público, e cuja área de intervenção abrange, maioritariamente, a Zona de Couros.




Após o almoço, Ana Abrunhosa visitou a Fábrica do Alto, em Pevidém, onde a Câmara Municipal vai instalar um Digital Center, o DIGI_M, uma das medidas do Plano de Ação do Gabinete de Crise e da Transição Digital que tem como objetivos a transformação digital do tecido empresarial de toda a região envolvente, com especial enfoque no setor industrial e de manufatura. O DIGI_M será ainda uma infraestrutura de desenvolvimento de soluções tecnológicas ancorado e dinamizado pelas instalações da Academia getDigital, do DTx, do DoneLab, do Centro de Demonstração de Digitech, do G_Fab e do Espaço IPCA. Terá como áreas de foco a robótica, o fabrico digital, a eletrónica impressa e flexível, a realidade virtual e aumentada, a Internet das Coisas e as redes 5G.

Em declarações à imprensa, Ana Abrunhosa classificou a cooperação entre o município de Guimarães, a Universidade do Minho, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e o tecido empresarial como um “casamento feliz” que é exemplo para todo o país, pois evidencia os méritos de como ciência, conhecimento e criatividade podem concorrer para a qualidade de vida, para uma reindustrialização de base tecnológica e digital e para o futuro dos territórios. A ministra da Coesão Territorial revelou estar “surpreendida e inspirada” pelo projeto de desenvolvimento do território de Guimarães.

Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, disse aos jornalistas que alguns dos projetos e equipamentos que foram dados a conhecer durante a visita serão, brevemente, uma realidade. À refuncionalização do Teatro Jordão e da Garagem Avenida, que albergará a Escola de Artes Performativas e Visuais da Universidade do Minho e o Conservatório de Guimarães, juntar-se-á a da Escola-Hotel do IPCA, já com o projeto concluído e que, brevemente, verá o concurso para a sua obra a ser lançado. Domingos Bragança deu ainda a conhecer a intenção da Câmara Municipal negociar a aquisição de mais espaço na Fábrica do Alto, para ampliar os cerca de 5.000 m2 já assegurados para o Digital Center.




A visita da Ministra Ana Abrunhosa terminou nas instalações do DTx e do DoneLab, no Campus de Azurém da Universidade do Minho, onde pode conhecer os projetos de investigação e desenvolvimento em curso, bem como conhecer em pormenor o Plano de Ação do Gabinete de Crise e da Transição Económica.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?