Município apresentou as linhas orientadoras para o ano letivo 2020/2021

Na apresentação das linhas orientadoras para a reabertura das escolas, que decorreu na tarde desta quinta-feira, 03 de setembro, na escola de S. Torcato, a vereadora da educação, Adelina Paula Pinto, focou a importância do ensino presencial, mesmo exigindo uma maior responsabilidade por parte de todos os intervenientes.

Várias medidas serão implementadas nas escolas, nomeadamente os horários desfasados, a divisão de alunos por grupos de turmas, a desinfeção de espaços, bem como a utilização das cantinas e bares.

Neste regresso às aulas em tempos de pandemia, a vereadora refletiu ainda sobre a importância da educação para a cidadania. “Se nós conseguirmos fazer esta educação para a cidadania nos nossos alunos, eles vão cumprir e vão fazer com que os pais, os avós, os tios, cumpram. Este será um trabalho muito grande e muito importante para ser feito pelas as escolas.”

De forma a garantir que as crianças e jovens passam apenas o “tempo necessário” nas escolas, foi referido que os pais terão de entregar o seu horário de trabalho.

“Guimarães tem sempre uma imensidão de projetos educativos que fomos achando que eram estimulantes e vamos continuar”, garantiu Adelina Pinto. Haverá um novo projeto, com o objetivo de melhorar os possíveis problemas causados pelo ensino à distância nos alunos do 1.º ano, a Plataforma Ensinar e Aprender Português. A ProChild, também um novo projeto educativo, vai rastrear, avaliar e intervir na saúde mental de todas as crianças e jovens dos três aos dez anos.

Sofia Ferreira, Vereadora dos Recursos Humanos, reforçou a importância da educação para a cidadania, sem esquecer o papel dos adultos, que “têm de dar o exemplo”.

Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, referiu ainda a importância da intervenção a nível dos transportes, mas garantiu que “a intervenção é complicada”.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?