MUNICÍPIO QUER LIGAR “MANCHA VERDE” DA PENHA AO PARQUE DA CIDADE

Guimarães apresentou esta quinta-feira, 12 de abril, a candidatura da Montanha da Penha a Área Protegida de âmbito local, numa cerimónia que contou com a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural.

A candidatura da Montanha da Penha a Área Protegida de âmbito local foi apresentada esta quinta-feira, numa iniciativa que contou a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas.

O presidente da Câmara, Domingos Bragança, assumiu que o caminho da sustentabilidade do município está a ser percorrido, onde também está inserido o plano do desenvolvimento sustentável da Penha. O autarca sublinhou a importância deste plano incorporar a Câmara, a Irmandade da Penha e as Universidades do Minho e Trás-os-Montes e Alto Douro. “Convocámos para esta candidatura e para o plano do desenvolvimento sustentável da Penha todos os especialistas para uma análise completa, que nos permita definir um plano de ação”, disse o edil.

Domingos Bragança anunciou o desejo da “montanha da Penha fazer parte integrante do Parque da Cidade e da cidade”. “Estando no Parque da Cidade e se quisermos percorrer os caminhos, chamados rotas da biodiversidade, nós naturalmente entramos na montanha da Penha”, explicou o presidente do Município, acrescentando que o objetivo é criar uma “mancha harmoniosa” para que “não se perceba se estamos na cidade ou na Montanha da Penha”.

“É necessário alargar [a mancha verde] para a zona da Lapinha e à zona de Monchique, que liga ao Parque da Cidade, sem perder as zonas urbanas. Para isso, nós estamos a alocar recursos financeiros, candidaturas comunitárias e, se houver dificuldades por parte dos proprietários em aderir a esta ambição, a Câmara está disponível para fazer contratos com os proprietários, para que possa tratar esta mancha”, referiu.

O juiz da Irmandade da Penha, Roriz Mendes, frisou que a Irmandade está empenhada na candidatura, mas “não tem pressa”. Roriz Mendes lembrou o esforço financeiro anual, cerca de 50 mil euros, que a Irmandade coloca na limpeza florestal da Penha, mas que é feito a “favor da comunidade e da qualidade do espaço”. O juiz pediu ainda para a Irmandade fazer parte da comissão diretiva da candidatura. “Queremos ter uma participação ativa. Somos conhecedores do terreno e temos o conhecimento da prática desenvolvida até agora”, disse.

O Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural partilhou do empenho para levar a candidatura a “bom porto”. “Do lado da Secretaria de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural e de todo o Governo terá o empenho para que a Montanha da Penha seja Área Protegida de âmbito local”, começou por dizer Miguel João de Freitas. O Secretário de Estado mostrou-se ainda “impressionado” com a “visão” da cidade nas boas práticas ambientais. “Este é o século do ambiente. Em Guimarães respira-se vontade de fazer uma cidade deste século”, referiu

Na parte da manhã, a comitiva fez uma série de visitas a empresas do concelho inseridas no projeto da Incubadora de Base Rural de Guimarães.

Saiba mais na edição impressa de terça-feira do Mais Guimarães.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?