“O importante, neste momento, é demonstrar que a Câmara Municipal de Vizela, não vai parar”

A despoluição do Rio Vizela, um rio que é, em diferentes perspetivas, “verdadeiramente importante para o concelho de Vizela”, foi o mote para a conversa do último domingo, 02 de agosto, entre Victor Hugo Salgado, presidente da Câmara Municipal de Vizela, e Eliseu Sampaio, diretor do Mais Guimarães.

Na manhã de segunda-feira, Victor Hugo Salgado convidou a comunicação social para uma conferência de imprensa de apresentação dos resultados do trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal, assim como um cronograma da ação municipal para o combate à poluição no Rio Vizela. Nesta quarta, pelas 19h30, convocou os vizelenses a participaram na “ação popular de descontentamento” junto da ETAR de Serzedo, em Guimarães, colocando uma vela no local, disponibilizadas pela autarquia. Victor Hugo Salgado garante não baixar os braços sem que o problema esteja definitivamente resolvido.

MG – A poluição do Rio Vizela é um problema identificado há muitos anos. Podemos falar de um esgotar de paciência dos vizelenses perante a persistência deste problema?

VHS – Esta é uma reivindicação com mais de 40 anos, e estamos aqui a falar de um dos rios que foi dos mais poluídos da Europa. Esta mudança de posição tem a ver com um facto que é muito relevante, que é a alteração do executivo municipal. Até aqui, quem esteve à frente dos destinos do concelho de Vizela foi o Partido Socialista e não houve, na minha opinião, uma dedicação a esta matéria. Este executivo lançou uma estratégia de revitalização ambiental, de regeneração urbana, de reafirmação de Vizela como destino turístico. Perante estes pressupostos, era essencial que a Câmara Municipal de Vizela tomasse uma posição forte, em representação de todos os vizelenses, de dizer que o rio é verdadeiramente importante para o concelho de Vizela. É importante numa perspetiva turística, e numa perspetiva de qualidade de vida. Vizela é um concelho que tem o nome daquele rio e que vive voltado para aquele rio. Temos um Parque das Termas e uma marginal ribeirinha que vive em confronto com o rio e, para que as pessoas possam usufruir deste parque, praticar ali atividades desportivas, possam ter qualidade de vida, para que os turistas possam visitar o concelho de Vizela, é necessário resolver este problema.




MG – Até onde está disposta a Câmara Municipal de Vizela a ir na defesa da despoluição do Rio Vizela?

VHS – O importante, neste momento, é demonstrar que a Câmara Municipal de Vizela, não vai parar. Há um conjunto de medidas que estamos a adotar nesta matéria, e temos consciência que é um problema tão grave, que se tem arrastado ao longo de tantos anos, que se não for com uma estratégia multifacetada, com um conjunto de ações, não irá ser resolvido. Para além do boicote às próximas eleições presidenciais, enviamos um conjunto de testes, feitos por um laboratório oficial, e um conjunto de vídeos e fotografias que atestam o que nós dizemos para as entidades europeias, mais concretamente para o Comissário do Ambiente e também para a Agência Europeia do Ambiente. A Câmara Municipal de Vizela irá entrepor ainda uma nova ação por crime de poluição ambiental novamente contra as Águas do Norte. Agora, para além das fotografias, fizemos análises da água (microbiológicas e químicas) e estamos a comprovar, de forma categórica
que a estação de tratamento das Águas do Norte são o maior poluidor do Rio Vizela e, por sua vez, também o Ave.

MG – Há vários municípios que são banhados pelo Rio Vizela, a começar por Fafe, onde nasce, depois Guimarães, onde está esta estação de tratamento em Serzedo, também Felgueiras, Vizela e Santo Tirso. Esperava uma posição mais forte, uma maior cooperação dos responsáveis por estes municípios?

VHS – Eu acho que existe uma abertura para criar condições para solucionarmos este problema. Todos os presidentes de Câmara dos municípios por onde passa o rio e onde ele desagua sentem a necessidade de resolver o problema. Estou certo que, com o evoluir deste processo, e com o demonstrar a importância que ele tem para o concelho de Vizela e para esta região, mais cedo ou mais tarde, de uma ou de outra forma, vai haver uma associação clara para com esta estratégia que a Câmara Municipal de Vizela está a definir.




MG – A Águas do Norte lançou um comunicado afirmando que não havia “qualquer anomalia na estação de tratamento de águas de Serzedo”. Os resultados que têm, fruto das análises que realizaram, concluem algo diferente?

VHS – Concluímos algo que é completamente distinto, completamente diferente. Conseguimos também gravar imagens, através de um drone, e percebe-se perfeitamente a grande diferença na água antes e depois da estação de tratamento. As pessoas a utilizarem o rio e a tomarem banho antes da estação de tratamento e depois ele a correr de cor preta ou avermelhada, que vai variando ao longo das várias descargas que são feitas. Se as Águas do Norte olharem para estas provas, verão que são inquestionáveis. Entretanto, refiro algo que é muito importante. O tratamento que é dado por parte das entidades públicas, e falo por exemplo do SEPNA (Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente), que é a entidade que tem responsabilidade pela fiscalização de uma hipotética descarga, é completamente diferente quando é uma descarga de uma ETAR, uma estação de tratamento das Águas do Norte, ou então, uma descarga de um privado, seja esta legal ou ilegal. Uma empresa privada, ao colocar de novo a água no rio, se hipoteticamente houver uma descarga com poluição ambiental, qualquer pessoa pode fazer uma denúncia ao SEPNA e automaticamente vão ao local, fazendo um levantamento do estado das águas, e passando, automaticamente, uma contraordenação. Quando falamos de uma estação de tratamento pública, ou de capitais públicos se, por qualquer motivo, fizer uma descarga, havendo uma denúncia, o SEPNA tendo esta informação, deslocam-se para o local também. Mas, se ao saírem para essa ocorrência, receberem um ofício das Águas do Norte a dizer que tiveram uma descarga face ao problema A, B, C ou D, eles já não se deslocam. E, se se deslocarem ao local e no momento da descarga não houver qualquer tipo de informação, o que se verifica é que é dada sempre a dúvida para que à estação de tratamento não seja aplicada qualquer contraordenação e que se consiga justificar. Enquanto um privado faz uma descarga ilegal, mesmo tendo a sua estação de tratamento em condições legais, é logo penalizado, mas esta estação de tratamento tem a facilidade de ser uma estação pública que tem as suas relações institucionais e que está ao serviço de quem nós sabemos. Eu não estou contra a estação mas a favor do rio. E se a estação está a poluir o rio, a estação deve criar uma solução.

MG – Sente que a população vizelense está com a Câmara Municipal neste processo?

VHS – Temos a população 100% do nosso lado nesta matéria, nesta discussão. Mas queremos ir mais longe, não é a população de Vizela que tem razão entre si mas perante o país e a Europa. Pelo que vemos nos vídeos que a Câmara fez parece que estamos num país do terceiro mundo. Como é possível numa plena Europa haver descargas uma estação de tratamento pública como esta. Como é que é possível? Como é que não há soluções? “Como é que a União Europeia passou anos e anos a mandar dinheiro para os vários países da Europa para superar problemas como este e Portugal uma estação de tratamento que, efetivamente, não consegue ser eficaz para aquilo que foi definido.”




MG – Que solução aponta o Município para a resolução deste problema?

VHS – É um problema que se arrasta há muitos anos que para ser resolvido precisa de um investimento por parte da administração central ou da empresa Águas do Norte. O que a Câmara Municipal de Vizela quer é uma decisão definitiva, uma solução definitiva. Queremos algo que não esteja dependente do executivo municipal, dos vários grupos organizados existentes, estarem atentos ao Rio Vizela e quando reclamam, as coisas resolvem-se por uns meses. Queremos algo em tudo similar ao que aconteceu em Rio Tinto, que foi a construção de um emissário que permitiu que a estação de tratamento passasse a descarregar mais abaixo, onde o leito do rio tem uma expressão que lhe permite absorver tudo o que é descarga habitual e normal, da estação de tratamento. E que isto resolva definitivamente o problema. Foi também um dos rios mais poluídos da Europa, mas agora o problema está resolvido, teve uma decisão definitiva.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?