O VALOR ÉTICO E SOCIAL DO DESPORTO DEBATIDOS EM GUIMARÃES

“O Valor Ético e Social do Desporto” foi o tema da conferência promovida pela Tempo Livre, através do Centro de Estudos do Desporto – Guimarães, que contou com a presença de D. Jorge Ortiga e Jorge Olímpio Bento. Realizada no Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor e moderada pelo sociólogo Esser Jorge Silva, a iniciativa assinalou o início do Ciclo de Conferências subordinadas ao tema “O Desporto é um assunto sério”.

D. Jorge Ortiga (Arcebispo Primaz de Braga e Doutor em História Eclesiástica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma) e Jorge Olímpio Bento (Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto) reforçaram a importância dos valores e da ética no desporto.

“Torna-se urgente referir que o caminho do desporto deve ser definido de acordo com valores morais e éticos”, afirmou D. Jorge Ortiga defendendo que o desporto “precisa de ser ajudado a superar a ambiguidade que o atravessa”, lembrando, a propósito, “a mitificação dos campeões, a dependência das lógicas comerciais e a ideologia do sucesso a todo o custo”.

Jorge Olímpio Bento enalteceu a ligação umbilical entre o desporto e a ética que, lembrou, “assenta em raízes gregas”. Todavia, defende que os valores «foram-se perdendo».

“O desporto tem de ser visto como um projeto ligado a valores, ético e de grandezas filosóficas. Basta ver quando um professor entrega uma bola às crianças, mas à medida que vamos ensinando regras elas já não são uma forma de bando, mas um grupo. São formas de lidar uns com os outros. O desporto é competição na aparência, mas não na sua essência. O jogo é uma forma de aprendizagem, de trato entre as pessoas. A ética está a sofrer uma erosão…”, resumiu o professor catedrático jubilado.

Afirmando que se deve procurar “uma melhoria da qualidade de vida que potencie o desenvolvimento de diversos valores sociais e pessoais”, o Arcebispo Primaz de Braga lembrou “valores como o fair-play, o respeito pelo adversário, pelos colegas de equipa, pelo staff, pelo árbitro ou juiz, assim como a amizade, a tolerância, a aceitação do resultado, a persistência, a disciplina, a socialização, os hábitos de vida saudável, a inter ajuda, a responsabilidade, a honestidade, a humildade, a lealdade, o respeito pelo corpo, a imparcialidade, a cooperação e a defesa da inclusão social em todas as vertentes”.

“Enquanto Igreja queremos ser presença ativa e construtiva em prol de um mundo melhor, mais justo, mais pacífico e mais humano. Gostaria de ver este espírito na sociedade, na cultura, na política, na economia, na arte e, claro, também no desporto”, concluiu.

Autor da Carta Pastoral do Desporto 2018, D. Jorge Ortiga reflete o Desporto como uma “Escola de Humanidade” sem esquecer que a igreja também tem um papel para tornar o desporto “verdadeiramente humano e aberto a valores intemporais”.

Jorge Olímpio Bento dedicou toda a sua vida académica à reflexão crítica e defesa do desporto e do seu valor para o homem. Autor de centenas de artigos científicos e livros de ciência desportiva, promoveu, em 1989, o Fórum Desporto Ética Sociedade em cujas atas destaca: “Da mesma maneira que o desporto apenas alcança sentido e significado no contexto integral da vida, também a ética do desporto somente encontra referências orientadoras no horizonte dos axiomas, critérios e princípios de uma ética que apreenda a totalidade da vida humana”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?