PAYT É O FUTURO DO CENTRO DA CIDADE

 

O alargamento do sistema PAYT (Pay-as-you-Throw) ao centro da cidade foi apresentado esta segunda-feira, dia 19 de novembro, no Mercado Municipal.

A implementação do PAYT decorreu em 2016 e valeu a Guimarães o Prémio de Município do Ano em 2017. Nesta primeira fase, o projeto foi aplicado ao centro histórico vimaranense, mas face aos resultados, a partir de janeiro de 2019, o centro da cidade também será incluído neste sistema. Com o PAYT, que tem como mote “quanto mais reciclar menos vai pagar pelo seu lixo”, cada um paga aquilo que produz, ao reciclar o seu lixo. Este sistema tem como objetivo incentivar as pessoas a separar o lixo, com vantagens na fatura, em especial, os estabelecimentos de comércio. Pagam conforme a produção de resíduos indiferenciados. Em três anos, foi possível registar uma redução em 34% na recolha de resíduos indiferenciados e a taxa de reciclagem aumentou em 126%. Na sessão desta segunda-feira, 81 dos utilizadores do sistema PAYT foram reconhecidos pelas boas práticas e terão direito a um mês de tarifa gratuita.

Para o alargamento ao centro da cidade serão distribuídos 3500 contentores de recolha seletiva portáteis destinados a determinadas habitações e a estabelecimentos da comerciais. Para além disso, irá pressupor a aquisição de sacos, tornando o sistema pré-pago, no caso dos resíduos indiferenciados, e a taxação realizada por volume. Nesta área, a tarifa deixa de ser cobrada em função do consumo de água e passa a estar indexada ao número de sacos utilizados. Como a recolha dos materiais recicláveis é gratuita, quanto mais reciclar menos paga. O alargamento do PAYT traz também uma novidade nos contentores, que passarão a ter leitor de cartão, que permite o utilizador abrir o ecoponto e contabilizar quantos sacos foram depositados. Estas medidas deverão ser implementadas em setembro.

Na sessão de apresentação desta próxima fase do PAYT, Sofia Ferreira referiu que este projeto mostra que “não basta ter consciência, tem que se passar à ação”. “Existe uma vontade política determinante, assumida pelo Presidente Domingos Bragança, na defesa intransigente da sustentabilidade ambiental e vamos continuar a desenvolver esse caminho, insistindo muito em estratégias de sensibilização junto da população”, apontou. A vereadora com o pelouro do Ambiente esclareceu ainda que este momento é ainda de sensibilização, mas que o momento de aplicação de coimas também irá chegar. “Há um tempo para a sensibilização, que será tido em conta neste alargamento, mas chegará o tempo em que o utilizador não cumpridor irá pagar coimas”, referiu.

 

 

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?