Peter Evans falta no segundo dia do Guimarães Jazz

Por motivos pessoais, o trompetista Peter Evans que se encontra nos Estados Unidos da América, não estará hoje, dia 13, no segundo dia do Guimarães Jazz. O concerto contará, assim, com a presença dos músicos que o acompanhavam: Gabriel Ferrandini, na bateria e percussão, João Barradas, no acordeão, e Demian Cabaud, no contrabaixo.

João Barradas é um dos músicos portugueses com mais visibilidade internacional.

O concerto está marcado para o Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor, às 19h30. A organização do festival procederá à devolução do valor dos bilhetes a quem assim o desejar, podendo a mesma ser efetuada nos locais habituais de venda de ingressos d’A Oficina.

Gabriel Ferrandini é um dos nomes em destaque da música improvisada portuguesa da segunda década do século XXI, fazendo parte de um grupo de criadores de diversas áreas musicais que contribuíram nos últimos dez anos para o surgimento de um movimento sustentado numa abordagem experimental e fluida ao jazz. Colaborador de vários músicos internacionais de relevo (desde Nate Wooley até Thurston Moore), o percurso de Ferrandini é marcado decisivamente também pelo seu trabalho no Red Trio e no Rodrigo Amado Motion Trio. Mais recentemente, o baterista editou em álbum o seu primeiro projeto composicional em nome próprio (e que deu origem ao álbum “Volúpias”, de 2019) e iniciou um projeto em duo com o saxofonista Ricardo Toscano.

Apesar da sua juventude, João Barradas é atualmente um dos músicos portugueses com maior visibilidade e reconhecimento no circuito jazzístico internacional. Acordeonista multipremiado com uma atividade desdobrada em diferentes campos musicais (jazz, música clássica e improvisação), Barradas iniciou a sua carreira discográfica em 2011 com o álbum “Surrealistic Discussion”, em parceria com o prestigiado tubista Sérgio Carolino, e, desde então, o virtuosismo técnico e a capacidade expressiva deste instrumentista permitiram-lhe alcançar um estatuto artístico assinalável tanto enquanto intérprete de reportório clássico como enquanto compositor e improvisador em territórios vinculados ao jazz, em nome próprio ou em colaboração com nomes influentes da música global como Gil Goldstein ou Tito Paris, entre outros.

Demian Cabaud é um contrabaixista argentino graduado na Berklee College of Music, em Boston (EUA), e desde 2004 sedeado em Portugal, onde tem contribuído para a emergência de uma nova geração de músicos de jazz. Membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos, Cabaud é um colaborador regular de alguns dos nomes mais influentes da cena jazzística nacional, como João Pedro Brandão, Susana Santos Silva ou Marcos Cavaleiro, e tem desenvolvido nos últimos anos um trabalho consistente como líder e compositor em projetos que contam com a participação músicos de renome internacional como Ohad Talmor ou Gerald Cleaver, entre outros.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?