Projeto Portas Abertas adota metodologia Ubuntu para capacitar técnicos

Este projeto piloto contempla uma componente de capacitação da equipa técnica.

Portas Abertas com barra

Na manhã de quarta-feira, dia 19 de abril, o Projeto Portas Abertas, coordenado pela Câmara Municipal de Guimarães em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa, Sol do Ave e pelo Lar St. António, deu início a um programa piloto a nível nacional em colaboração com o IPAV – Instituto Padre António Vieira.

© Direitos Reservados

A equipa do Projeto Portas Abertas acredita que “a filosofia Ubuntu é um método eficaz e relevante para a capacitação das equipas técnicas, que atuam no atendimento a pessoas em situação de sem-abrigo”.

Este projeto piloto contempla uma componente de capacitação da equipa técnica composta por cinco seminários iniciais, que irão aprofundar as competências do líder colaborativo, seguindo o método Ubuntu: autoconhecimento, autoconfiança, resiliência, empatia e serviço.

A palavra “Ubuntu” é uma combinação de dois termos africanos, “Ntu”, que significa pessoa, e “Ubu”, que significa tornar-se, enfatizando a centralidade da pessoa na sua singularidade, ao mesmo tempo que propõe um caminho de autodesenvolvimento. A filosofia Ubuntu também destaca a importância das relações e da interconexão entre as pessoas, valorizando o “ser-com-o-outro”.

As formações irão decorrer até o final de maio, nas instalações da Cruz Vermelha Portuguesa.

A Câmara Municipal de Guimarães investiu cerca de 164 mil euros neste projeto que foi financiado ao abrigo do Norte2020 em 153 mil euros. 

PUBLICIDADE

Arcol

Partilhar

PUBLICIDADE

Ribeiro & Ribeiro
Instagram

JORNAL

Tem alguma ideia ou projeto?

Websites - Lojas Online - Marketing Digital - Gestão de Redes Sociais

MAIS EM GUIMARÃES